Vila do Bispo | "Dia do Idoso" com Concerto Centenário de Amália Rodrigues

No próximo dia 1 de outubro comemora-se o Dia internacional do Idoso, para assinalar a data o município de Vila do Bispo recebe o concerto do Centenário de Amália Rodrigues: Uma História de Vida (1920-2020).

Este espetáculo irá realizar-se, no dia 3 de outubro, pelas 16h30, no Centro Cultural de Vila do Bispo, onde as famosas canções de Amália Rodrigues serão cantadas por Pedro Miguel Nunes, acompanhado por Artur Caldeira (guitarra portuguesa e clássica) e Daniel Paredes (guitarra clássica e baixo).

Apresentado pela Vox Angelis, este concerto visa não só dar a conhecer a música da Amália, os seus poetas e os seus compositores, mas também a História da sua Vida, bem como a História do Fado e a História da Cultura Portuguesa do Séc. XX.

Destinado à população com idade igual ou superior a 60 anos, a participação neste espetáculo é gratuita mediante reserva prévia do lugar até ao dia 1 de outubro no Centro Cultural de Vila do Bispo (Gabinete de Ação Social), ou através do seguinte contacto telefónico 910 505 450 / 282 630 600.

A Câmara Municipal disponibiliza transporte mediante marcação.

Mun de Vila do Bispo

Monchique | Alto da Foia - Escultura de Homenagem ao Ciclista

Também já chamada de ‘Meca do Ciclismo, a Foia, o ponto mais alto do sul de Portugal, em pleno pulmão da Serra de Monchique destaca-se cada vez mais como um dos locais mais procurados pelos amantes dos desportos de natureza e aventura.

São muitas as razões para ir a Monchique e desfrutar de um dos seus locais mais emblemáticos - A Foia. O ‘Topo do Algarve’ que se eleva na região turística do Algarve aos 902 metros de altitude, esconde dos mais belos locais para os amantes da natureza e de onde é possível avistar toda a costa e o seu encontro com o Oceano Atlântico.

Entre cascatas, ribeiros e montanhas que desafiam aos melhores percursos em bicicleta, em estrada ou fora dela nos variados trilhos de BTT, Enduro e Downhill, a Serra de Monchique representa um ícone e uma paisagem única que se tem vindo a afirmar num dos principais destinos e de atração turística dos amantes das duas rodas.

Nos últimos anos a Serra de Monchique em geral e o seu ponto mais alto, a Foia, tornaram-se uma meca de peregrinação para os adeptos do ciclismo, que não querem perder a oportunidade de pisar o palco das mais emocionantes etapas da Volta ao Algarve em Bicicleta, evento que convoca anualmente os melhores ciclistas do mundo a subir até ao mais famoso miradouro da região, num misto de superação mas também de admiração pelas paisagens únicas que acompanham os atletas ao Topo do Algarve.

A Foia tem sido palco das mais competitivas provas desportivas com a passagem por este místico local das mais importantes estrelas da bicicleta como Joaquim Agostinho, Alberto Contador, Vitor Gamito, Candido Barbosa, Amaro Antunes, Joaquim Gomes, José Azevedo, Delmino Pereira, Geraint Thomas, Tadej Pogäcar, Primox Roglic, entre outros. Mas foi em 2020, na segunda etapa da Volta ao Algarve em bicicleta, quase sempre decisiva na escolha do vencedor final deste importante evento velocipédico internacional que, a poucos metros da meta, Remco Evenepoel esmagou toda a concorrência e venceu pela primeira vez, não deixando mais a camisola amarela e sagrando-se vencedor da volta naquele ano.

Para demonstrar que a subida ao alto da Foia não está ao alcance de todos e constitui também uma prova de superação que diariamente atrai dezenas de ciclistas aquele território, entendeu o Município de Monchique homenagear esse esforço e colocar uma escultura de um ciclista celebrando a sua chegada a este emblemático local.

A imagem da chegada de Remco Evenepoel ao cimo da montanha, celebrando a vitória carregada de esforço foi a escolhida por Rui André, presidente daquele município para assinalar aquele que será certamente e, a partir de agora, um local de celebração e registo de tão importante feito - a chegada ao Topo do Algarve. O artista convidado para a realização desta obra foi Carlos de Oliveira Correia, um experiente e reconhecido artista com uma vasta obra em toda a região.

Hoje, foi inaugurada esta obra pelo presidente da Câmara Municipal de Monchique Rui André, num evento que contou com a presença de Delmino Pereira, presidente da Federação Portuguesa de Ciclismo, Ricardo Rodrigues, presidente da Associação de Ciclismo do Algarve e do autor desta obra de arte.

Rui André assinalou este momento com o reconhecimento à Federação de Ciclismo pelo valoroso contributo para a afirmação deste destino de cicling no nosso país e internacionalmente ao organizar aquela que é uma das provas mais importantes do calendário do ciclismo mundial. Foram também reconhecidos os clubes locais pelo continuo interesse e organização de eventos desportivos no concelho. Para Rui André, “sob a proteção do interesse despertado pela realização destes eventos nos últimos anos e o destaque que o concelho tem vindo a ganhar em torno do seu grande potencial, também neste domínio, têm também surgido novas dinâmicas sociais e económicas no concelho, para além de potenciar o incremento da prática desportiva desta zona. A adaptação do próprio comércio local e até o surgimento de espaços temáticos em torno desta temática são a prova do interesse e potencial de crescimento deste segmento de mercado no concelho.

Não são só dos profissionais do ciclismo as bicicletas que visitam o Alto da Foia. Muitos curiosos querem ver de perto as encostas íngremes e as paisagens montanhosas únicas e muitos ciclistas amadores atrevem-se a tentar imitar os seus ídolos diariamente. Podemos mesmo realçar o impacto que a promoção através do ciclismo teve no incremento e na chegada de turistas e praticantes destas modalidades ao concelho.

Monchique tem vindo a afirmar-se não apenas como sinónimo de paisagens incomparáveis, mas também como uma referência no aproveitamento desse enquadramento natural para a promoção de múltiplas atividades económicas, neste caso, atividade desportiva, esforço e capacidade de diversificação da oferta turística capaz de se destacar da tradicional oferta regional. É isso também que o Município de Monchique acaba de confirmar pela escultura colocada nas proximidades do miradouro e que nos lembra que as bicicletas são, por direito próprio, mais um elemento indissociável deste local.

Mun de Monchique

Alteração dos Estilos de Vida é uma Medida Urgente para Prevenir o Enfarte

Artigo de Opinião do médico João Brum Silveira, Coordenador Nacional do Stent Save a Life (APIC). Dia Mundial do Coração assinala-se a 29 de setembro.

Todos os anos mais de 12.000 portugueses sofrem um enfarte agudo do miocárdio. Esta emergência médica ocorre quando uma das artérias do coração fica obstruída o que faz com que uma parte do músculo cardíaco fique em sofrimento por falta de oxigénio e nutrientes. Esta obstrução é habitualmente causada pela formação de um coágulo devido à rutura de uma placa de colesterol.

Os sintomas mais comuns, para os quais as pessoas devem estar despertas, são a dor no peito, por vezes com irradiação ao braço esquerdo, costas e pescoço, acompanhada de suores, náuseas, vómitos, falta de ar e ansiedade. Normalmente estes sintomas duram mais de 20 minutos, e podem ocorrer de forma repentina ou gradualmente.

Contudo, os dados que dispomos dizem-nos, por exemplo, que mais de dois terços da população portuguesa não conhece quais são os sintomas do enfarte agudo do miocárdio ou como se devem comportar na presença de sintomas.

A recomendação médica é que na presença destes sintomas é importante ligar imediatamente para o número de emergência médica – 112 e esperar pela ambulância que estará equipada com aparelhos que registam e monitorizam a atividade do coração e permitem diagnosticar o enfarte. A pessoa não deve tentar chegar a um hospital pelos seus próprios meios. Cerca de 50% dos doentes recorrem a um Centro sem capacidade para realizar o tratamento, o que conduz a um atraso significativo no início da terapêutica mais adequada. Esta situação não acontece quando se liga para o 112.

É importante a precocidade no diagnóstico (valorização dos sintomas) - o que implica um tratamento mais rápido com redução significativa da quantidade de músculo cardíaco "perdido" , o que leva a que os doentes tenham um melhor prognostico, isto é que voltem a ter uma vida "normal".

No hospital, o cardiologista de intervenção irá efetuar uma angioplastia coronária que consiste na colocação de um tubo muito fino (cateter) na artéria a ser tratada, através do qual se introduz um fio guia que atravessa a obstrução da artéria. Sobre o fio guia é introduzido um balão que será insuflado na zona da obstrução, restabelecendo, assim, o normal fluxo sanguíneo da artéria. Na grande maioria dos casos é, ainda, necessário implantar uma pequena rede metálica expansível (stent), para que a artéria se mantenha permeável a longo prazo. Atualmente, a angioplastia coronária é o melhor tratamento para o enfarte agudo do miocárdio.

Para prevenir um enfarte agudo do miocárdio, a alteração dos estilos de vida é uma medida urgente: não fumar, reduzir o consumo de gorduras, açúcar e sal, evitar o consumo de bebidas alcoólicas, praticar exercício físico regularmente, controlar a tensão arterial, o colesterol e a diabetes, vigiar o peso e evitar o stress.

Por forma a promover o conhecimento e a compreensão sobre o enfarte agudo do miocárdio e os seus sintomas; e alertar para a importância do diagnóstico atempado e tratamento precoce, a Associação Portuguesa de Intervenção Cardiovascular (APIC), uma entidade sem fins lucrativos, está a promover, em Portugal, a campanha Cada Segundo Conta, integrada na iniciativa Stent Save a Life.

Para mais informações sobre esta campanha consulte www.cadasegundoconta.pt

Miligrama

Porto de Sines recebe evento “Dois dias, dois portos”

A Administração dos Portos de Sines e do Algarve (APS) recebeu participantes do evento “Dois dias, dois portos” organizado no âmbito do programa de atividades da Associação Portuguesa de Logística (APLOG) e que teve como principal objetivo dar a conhecer as potencialidades do Porto de Sines e da sua Zona Industrial e Logística (ZILS), bem como os investimentos em curso.

Na sessão de abertura, o Presidente da APLOG, Raúl Magalhães, referiu que o setor portuário “está a atravessar um momento glorioso” e que o Porto de Sines “tem características únicas” que o distinguem dos restantes portos nacionais. O evento contou com uma mesa redonda, em que estiveram presentes o presidente da APS, José Luís Cacho, Jorge D’Almeida, presidente da Comunidade Portuária e Logística de Sines (CPLS) e Carlos Rodrigues, Policy and Corporate Engamenent Manager da Medway. A intervenção de José Luís Cacho contou com a apresentação das metas estratégicas do Porto de Sines, focadas no reforço da centralidade e da conectividade, impulsionando o incremento da carga do hinterland tendo em conta o objetivo de alcançar uma quota de 8% no mercado Ibérico. Realce ainda para o compromisso firme com a sustentabilidade ambiental e social, bem como com o contínuo processo de digitalização do porto, ao serviço de uma cadeia logística global mais célere, eficiente e sustentável.

Os participantes tiveram ainda a oportunidade de visitar o Terminal de Granéis Líquidos, porta energética nacional na receção de crude e exportação de produtos refinados, bem como o Terminal Multipurpose, dotado com condições adjacentes de excelência, conectado à rede ferroviária e rodoviária nacional, ibérica e europeia. Por fim, foi realizada uma visita ao Terminal XXI, infraestrutura portuária inserida nas principais cadeias logísticas internacionais, responsável pelo movimento de mais de 55% da carga contentorizada em Portugal.

A cooperação com entidades como a APLOG, que representa um setor determinante para o desenvolvimento do porto, assim como a adesão a este tipo de iniciativas assume uma enorme importância na estratégia da autoridade portuária, permitindo promover o Porto de Sines e a sua Zona Industrial e Logística adjacente a vários operadores logísticos e a quadros de empresas, o que pode traduzir-se em investimentos futuros.

Unimagem

Albufeira | Município desafia a partir à Descoberta do Centro Antigo de Albufeira

O Município de Albufeira tem um novo percurso pedestre e desafia residentes e turistas a partirem à descoberta do Centro Antigo da cidade. Trata-se de um circuito urbano, com um traçado principal e três trajetos complementares, que permite a quem gosta de caminhar descobrir a história, o património e os principais pontos de interesse da zona. Para facilitar a visita, foram integrados todos os percursos pedestres do concelho numa aplicação móvel (APP), disponível para dispositivos IOS e Android. Para aceder, basta fazer “download” da aplicação nas respetivas store`s com a denominação “Percursos Pedestres de Albufeira”. Embarque nesta viagem e surpreenda-se a cada recanto!

O Percurso do Centro Antigo tem o seu início e término no Posto Municipal de Turismo de Albufeira, onde os caminhantes irão encontrar um totem com toda a explicação do percurso, distância, altimetria, o património a visitar e o modelo das placas a seguir, as quais se encontram afixadas ao chão. Trata-se de um percurso circular, com 7,1 km, de nível II (Fácil), com 3 variantes para quem não queira percorrer a sua totalidade.

A partir do Posto Municipal de Turismo, localizado junto à entrada principal da cidade, faz-se um desvio em direção à Ermida de Nossa Senhora da Orada, padroeira dos pescadores, e à zona da Marina, antes de partir à descoberta da estátua do Beato Vicente e das igrejas de Sant`Ana, São Sebastião (Museu de Arte Sacra) e Igreja Matriz. Já na antiga Praça de Armas, atualmente Praça da República, observe a magnífica Torre do Relógio, ex-Libris de Albufeira, faça uma pausa e prepare-se para visitar o Museu Municipal de Arqueologia. Terminada a visita, pode optar por encurtar caminho pela Rua da Bateria até encontrar de novo o percurso junto à Porta de Sant`Ana, ou seguir o traçado principal, que passa pela Capela da Misericórdia e o edifício da antiga Albergaria, antes de chegar aos vestígios da antiga Muralha do Castelo. Desça a Rua João de Deus até à baixa da cidade, depois siga em direção ao Largo Engº Duarte Pacheco e visite a Galeria de Arte Pintor Samora Barros. Estamos quase a chegar ao fim, agora vá até ao Cais Herculano, conheça o local da antiga Praça do Peixe, mesmo sobre o areal da Praça dos Pescadores e, antes de regressar ao ponto inicial, visite o monumento ao Pescador, uma homenagem do Município ao povo de Albufeira e às tradições piscatórias.

O percurso já está disponível na APP dos Percursos Pedestres de Albufeira e os folhetos podem ser solicitados em todos os postos de Turismo do concelho. Brevemente, irão, também, ser instalados painéis explicativos com informação detalhada em português, inglês e em braile sobre os principais monumentos e equipamentos existentes ao longo do percurso.

Se ainda não se aventurou pelos restantes percursos que o Município de Albufeira tem à sua disposição, então está mais do que na hora de descobrir o que a natureza tem para lhe oferecer no interior do concelho. Prepare a mochila e venha conhecer os três percursos localizados na bonita aldeia de Paderne: Castelo, São Vicente e Cerro Grande. Noutro dia à sua escolha faça a Via Algarviana, um percurso de 29,3 km que liga Albufeira a Alte, no concelho de Loulé. Refira-se que estes percursos podem ser apreciados inclusivamente por pessoas com deficiência ou dificuldades motoras, graças à Jolette, uma bicicleta especial que permite que todos possam usufruir da visita.

O referido equipamento encontra-se disponível no Posto Municipal de Turismo de Albufeira, sendo que para reservar basta ligar  para o 289 599 502 ou fazer o pedido presencialmente.   

DCRP da CM Albufeira