fbpx

OPP | Com o Natal e o fim de ano a chegar: 9 Perguntas e Respostas sobre Consumo do Álcool

Consultório Médico
Tools
Typography

A época do Natal à qual acresce uma vivência demasiado longa de pandemia pode ser uma mistura explosiva que, para muitas pessoas, se transforma numa fonte adicional de stress, cansaço, desgaste e falta de esperança. Com o objetivo de desmistificar o consumo do álcool e ajudar a manter a saúde psicológica nesta quadra, a Ordem dos Psicólogos Portugueses (OPP) criou um documento com perguntas e respostas essenciais para estar bem informado sobre o consumo excessivo e o que fazer.

Quais são os efeitos do consumo de álcool?

Para a maioria das pessoas, o consumo do álcool é apenas para relaxar e procurar sensações agradáveis, de tranquilidade e bem-estar. No início, ajuda a sentirmo-nos menos inibidos e ansiosos, mas à medida que o corpo processa o álcool, podem começar sentimentos de ansiedade, agitação e depressão, afetando o equilíbrio e a coordenação e causando dores de cabeça, tonturas, náuseas e vómitos. O impacto do álcool varia em função de vários fatores como idade ou peso, mas pode ser sempre perigoso.

Quando é que o consumo de álcool se torna um problema?

No documento pode ler-se que «o consumo problemático de álcool corresponde a um padrão de consumo que produz consequências adversas recorrentes e significativas», como incumprimento de obrigações e responsabilidades, problemas legais ou interpessoais. A partir do momento em que uma pessoa não controla o consumo de álcool e não consegue parar de beber torna-se alguém com um problema de alcoolismo. «A dependência do álcool caracteriza-se pela tolerância ao álcool (é preciso beber cada vez mais para produzir os mesmos efeitos) e por sintomas de abstinência».

De acordo com a Direção-Geral de Saúde o consumo de álcool tem vários níveis, que começa no consumo de baixo risco, passa pelo consumo de risco e pelo consumo nocivo e termina na dependência.

«Segundo a Organização Mundial de Saúde, Portugal é um dos países do mundo com maior índice de consumo de álcool por pessoa: dos portugueses que bebem, 16,9% fazem-no de forma excessiva e 2,1% apresentam dependência do álcool. Os dados de um estudo realizado pelo Serviço de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e nas Dependências (SICAD), durante o período inicial da pandemia, revelam que 21% dos portugueses e das portuguesas aumentou o seu consumo de bebidas alcoólicas durante a pandemia».

Quais são as causas dos problemas relacionados com o consumo de álcool?

As causas dos problemas relacionados com o consumo de álcool podem ser genéticas, fisiológicas, psicológicas e sociais, e cada pessoa é afetada de forma diferente.

Quais são as consequências do consumo problemático de álcool?

O consumo de risco, nocivo ou a dependência do álcool traduzem-se em riscos sérios para a Saúde Física e Psicológica, como aumento do risco de lesões, enfraquecimento do sistema imunitário, aumento dos problemas de Saúde Psicológica, deterioração e atrofia cerebral ou aumento de comportamentos de risco. «A Organização Mundial de Saúde estima que o consumo excessivo de álcool possa provocar cerca de 3,3 milhões de mortes em cada ano (ou 5,9% de todas as mortes no mundo)».

Quais são os principais mitos associados ao consumo de álcool?

O álcool ajuda a relaxar, a dormir melhor ou mesmo a esquecer os problemas são alguns dos mitos que a OPP quer desmistificar. Outros mitos são que quem aguenta bem a bebida não precisa de se preocupar ou que beber com moderação é seguro para qualquer um.

O que podemos fazer para reduzir o consumo de álcool?

Pode ser difícil, mas é preciso fazer pequenas mudanças, monitorizando o consumo de álcool, tendo dias 0% álcool ou partilhando a intenção de reduzir. Outras sugestões apontadas pela OPP passam por partilhar o cumprimento de objetivos, manter a motivação, adotar um estilo de vida saudável e/ou procurar ajuda.

Quando devemos procurar ajuda?

Quanto mais cedo se sair da negação e se procurar ajuda maior a probabilidade de recuperação. Na maioria dos casos é preciso ajuda. Se suspeita que alguém tem problemas relacionados com o álcool fique atento a sinais como a pessoa sentir-se culpada por beber, ter falta de interesse nas atividades ou ser desonesto na quantidade de álcool que diz que consome.

Como pode um psicólogo ajudar?                          

Os psicólogos com experiência nos problemas associados ao consumo de álcool podem ajudar a encontrar o tratamento mais adequado e a motivação para procurar ajuda e seguir esse tratamento, mas também podem ajudar a resolver os problemas de natureza psicológica ou identificar as circunstâncias que despoletam o comportamento de consumo de álcool.

Como podem familiares e amigos ajudar?

Se está preocupado com o consumo de álcool de alguém, pode ajudar se escolher um lugar seguro e confortável e um momento em que estejam ambos tranquilos. Esteja disponível para escutar sem criticar, julgar ou rotular a pessoa. É importante se for paciente e persistente, porque ajudar alguém a ultrapassar um problema associado ao consumo de álcool leva tempo.

Pergunte como pode ajudar e utilize linguagem positiva.

Links e números úteis

Eu Sinto.me www.eusinto.me

Alcoólicos Anónimos Portugal www.aaportugal.org

Al-Anon Portugal http://al-anon.pt/al-anon/

Serviço de aconselhamento psicológico do SNS24 (808 24 24 24)

Linha Vida (14 14)

ADBDOrdemPsicologosAlcool

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS