Diocese Algarve | Apresentação da Mensagem do Papa para o Dia Mundial das Comunicações Sociais

Regionais
Tools
Typography

A apresentação da mensagem do Papa para o próximo Dia Mundial das Comunicações Sociais aos profissionais do setor, feita ao final da tarde de ontem, dia 25 de janeiro, em ambiente digital, lembrou-lhes ser «dever dos comunicadores reconhecer o rosto da notícia que é a pessoa concreta, muitas vezes aqueles que não têm voz na sociedade».

Na sessão online, promovida pelo Secretariado das Comunicações Sociais da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) em conjunto com o Gabinete de Informação da Diocese do Algarve, o presidente da Comissão Episcopal da Cultura, dos Bens Culturais e das Comunicações Sociais, D. João Lavrador, a quem coube a apresentação do documento, salientou que o Papa desafia todos os comunicadores a apostarem num «modelo de comunicação que, segundo ele, deve pautar pelo encontro das pessoas como e onde estão».

«Numa sociedade fechada em si mesma, em tempo de pandemia a aniquilar-se no medo do encontro, em isolamentos contínuos, urge não perder o que se pretende de uma verdadeira comunicação que deve atender às circunstâncias próprias em que vivem as populações e as pessoas concretas», prosseguiu, exortando, como refere a mensagem papal subordinada ao tema “’Vem e vê!’ (Jo 1, 46) – Comunicar encontrando as pessoas como e onde estão”, a «não ter medo de gastar a sola dos sapatos e ir ao encontro das pessoas».

D. João Lavrador realçou que Francisco evidencia «a exigência do despertar da comunicação social para a realidade concreta das pessoas, tantas vezes trágica e incómoda». «De facto, a verdade da notícia não se pode limitar a mera opinião ou a relatos alheios à autenticidade dos factos; não deve incorrer no erro de seguir ideologias; e quando se trata de pessoas é a realidade concreta que deve ser atendida», afirmou.

Este responsável da Igreja Portuguesa lembrou que a comunicação deve ter em conta a «descoberta da verdade, que nunca é alheia à pessoa, mas também à comunidade e às circunstâncias em que vive e se comunica a pessoa humana». Sustentou, mesmo, que «a comunicação não pode partir de abstrações, preconceitos, ideologias ou manipulações que sirvam interesses particulares. Pelo contrário, ela tem de se situar na descoberta das verdadeiras e profundas interrogações do ser humano e encaminhar para Vida na sua totalidade».

A diretora do Secretariado Nacional das Comunicações Sociais (SNCS), Isabel Figueiredo, questionou os comunicadores se trabalham tendo em conta a «constância de um apelo à fraternidade, dentro e fora da Igreja» e a «coragem de ver e denunciar» o que encontram à sua volta. «Conseguimos ter presente no dia a dia, antes de escrever uma peça, de preparar uma emissão ou de pensar num post para as redes, o sentido ético que não nos permite fugir da linguagem que sabemos correta, da necessidade de infundirmos o que fazemos de um sentimento de pertença que nos une?», interrogou Isabel Figueiredo, desafiando os participantes a «fazer a diferença ao escrever um artigo, ao publicar uma noticia, ao entrevistar este e não aquele convidado, ao escolher primeiras páginas, leads, fotografias, sons».

A Diretora do SNCS informou, ainda, que o jornal centenário da Diocese do Porto, ‘Voz Portucalense’, irá receber a título honorífico o Prémio de Jornalismo Dom Manuel Falcão.

O bispo do Algarve, D. Manuel Neto Quintas, agradeceu o trabalho dos profissionais de um setor que considerou «importantíssimo para a realização da missão da Igreja e de todas as missões humanas». «Lamentavelmente», disse, «não nos é possível estar cara a cara, fisicamente, mas por detrás de cada rosto e de cada nome adivinha-se uma vida de entrega e doação à causa da comunicação», exprimindo a todos «apreço e reconhecimento por tudo aquilo que é feito a nível nacional», não só a nível eclesial, lembrando «que exige doação, entrega, tantas vezes sacrifício da própria família, pôr em risco a própria vida, sobretudo para aqueles que vão aos locais e veem para poder transmitir com maior verdade, realidade e autenticidade».

O bispo do Algarve reconheceu, ainda, o serviço que os gabinetes de informação prestam às dioceses. «Aqui no Algarve, desde que foi criado o Gabinete de Informação, senti-me, não desresponsabilizado, mas muito mais apoiado neste setor. Pela equipa que se constituiu e continua a trabalhar com grande dedicação e doação, tenho gosto em reconhecer publicamente o seu serviço que é certamente aquele que todos os gabinetes de informação prestam nas suas dioceses», concluiu.

O 55º Dia Mundial das Comunicações Sociais será celebrado em maio de 2021, tendo sido a única celebração do géneroestabelecida pelo Concílio Vaticano II, no decreto ‘Inter Mirifica’, em 1963;assinalando-se, em cada ano, no domingo antes do Pentecostes.

55ª Mensagem do papa para o Dia Mundial das Comunicações Sociais:

http://www.vatican.va/content/francesco/pt/messages/communications/documents/papa-francesco_20210123_messaggio-comunicazioni-sociali.html.  

Recordamos que esta sessão, destinada aos secretariados diocesanos e jornalistas e a todos os interessados, estava prevista realizar-se presencialmente no Algarve, mas a evolução da pandemia de Covid-19 não o permitiu.

GIDAlgComunicacaoSovialPAPA

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS