"Via Algarviana - Um Elogio à Natureza" alcançou centenas de participantes

Regionais
Tools
Typography

A Associação Almargem apresentou ontem os resultados do projeto “Via Algarviana – Um Elogio à Natureza”. Numa data que não foi escolhida ao acaso, uma vez que se celebra a 3 de Março o Dia Internacional da Vida Selvagem, o Mercado Local de Castro Marim foi palco para esta apresentação, que contou com a presença dos vários parceiros e participantes deste projeto desenvolvido pela Almargem entre os meses de Setembro a Novembro de 2019.

“Via Algarviana - Um Elogio à Natureza” assentou numa estratégia regional de educação ambiental, valorizando a GR13 – Via Algarviana e a sua rede de percursos complementares enquanto ferramenta pedagógica e de interpretação dos recursos naturais e culturais dos territórios de baixa densidade da região.

Na abertura desta sessão, Anabela Santos, coordenadora da Via Algarviana, começou por enquadrar este projeto e explicar os vários objetivos de sensibilização ambiental e valorização, conhecimento e divulgação adequada dos territórios de baixa densidade, que levaram a apresentar esta candidatura aprovada pelo Fundo Ambiental, incluída no aviso "Educarte: Educar para o Território" no âmbito do programa de Estratégia Nacional de Educação Ambiental 2020.

Filomena Sintra, vice-presidente da Câmara Municipal de Castro Marim, um dos municípios parceiros da Via Algarviana e deste projeto, a par de Alcoutim, Aljezur, Monchique e Vila do Bispo, felicitou a Associação Almargem pelas ações desenvolvidas e realçou a importância e os contributos positivos que têm sido potenciados desde a génese da Via Algarviana.

Fátima Catarina, vice-presidente da Região de Turismo do Algarve, considera que o Turismo de Natureza e a Via Algarviana têm atraído cada vez mais visitantes à região durante o outono, inverno e primavera, apresentando-se como complemento ao turismo de sol e praia, colmatando a sazonalidade da região.

Cumprindo um dos objetivos propostos, com a capacitação de empresários e técnicos de administração regional e local, foram desenvolvidas 39 ações de capacitação destinadas a estes públicos-alvo. Estas ações temáticas, com saídas de campo nas áreas de turismo sustentável, geodiversidade, biodiversidade, botânica e património cultural, contaram com 203 participantes, envolvendo o tecido empresarial e decisores e técnicos de administração regional e local.

Durante a sessão, alguns dos dinamizadores e participantes nas ações de capacitação partilharam a sua experiência e, de forma unânime, elevaram a relevância destas iniciativas para o enriquecimento e partilha de conhecimentos. Foi também destacada a atenção dada à sensibilização para os valores patrimoniais, ambientais e culturais da região e de como esta é essencial para as boas práticas do turismo da natureza e da correta difusão de informação, por parte dos empresários do setor.

Para o público geral, foram promovidos 11 workshops temáticos, nos quais participaram 109 pessoas. Todas estas atividades, gratuitas, levaram os participantes a caminhar por troços da Via Algarviana, guiados pelo olhar interpretativo dos parceiros do projeto. Esta foi uma parceria alargada a várias entidades: além das 5 câmaras municipais parceiras do consórcio, colaboraram nestas ações a Bird Land, o Centro Ciência Viva de Tavira, a Direção Regional de Cultura do Algarve, a GeoWalks & Talks, a Universidade de Évora e a Walkin’Sagres.

Também as escolas foram envolvidas através de ações de educação ambiental. Foram organizadas pequenas caminhadas na Via Algarviana, focando sobretudo nos valores existentes ao longo de cada troço percorrido em termos de biodiversidade, geodiversidade e património cultural com uma perspetiva de correta interpretação e valorização do território. “Eu adorei a visita”, foram as palavras de um aluno de Castro Marim que participou numa das atividades promovidas neste concelho, relatadas pela professora Maria Natal Gonçalves, que realçou a necessidade de levar mais vezes, e de forma mais regular, os alunos para aprendizagem fora da sala de aula. Ao todo, participaram 246 alunos, professores e auxiliares de quatro agrupamentos do 1º Ciclo do ensino básico: Aljezur, Castro Marim, Monchique e Vila do Bispo.

Uma das grandes novidades resultantes deste projeto é a disponibilização de um guia pedagógico de atividades, em formato digital, para o público escolar do 1º Ciclo. Levar os alunos a percorrer troços da Via Algarviana é o desafio. O guia apresenta uma série de propostas completamente delineadas para explorar temáticas como fauna, flora e rochas e solo. Todas as atividades estão preparadas com os devidos materiais de apoio e adaptadas às várias idades dos alunos do 1º Ciclo. O guia pode ser consultado e descarregado gratuitamente no website da Via Algarviana em www.viaalgarviana.org.

Nesta sessão, foi também apresentado um o “Quiz da Via Algarviana”, um jogo didático com perguntas relacionadas com o património natural e cultural que pode ser encontrado na Via Algarviana. Este quiz pretende desafiar o público de todas as idades a testar os seus conhecimentos e pode ser acedido também online no mesmo sítio eletrónico. O jogo será atualizado com mais e novas perguntas após a implementação do novo website da Via Algarviana, que se encontra neste momento em desenvolvimento.

Um vídeo em formato documentário produzido no âmbito deste projeto foi também apresentado e será um meio de divulgação destas iniciativas e da Via Algarviana através dos canais digitais e redes sociais da Via Algarviana e da Associação Almargem.

A sessão encerrou com a inauguração da exposição temática “Via Algarviana - Um Elogio à Natureza: Os Ofícios Tradicionais”. Ao todo, são seis painéis que documentam as artes e ofícios dos territórios de baixa densidade abrangidos pelo projeto, propondo uma viagem pela cultura e património singular do Algarve, desenvolvidos em parceria com o projeto TASA. A exposição, que será itinerante, estará em exibição até ao dia 17 de Abril, no Mercado Local em Castro Marim.

Associação AlmargemViaAlgarviana1

 

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS