Loulé acolhe Orquestra original do artista Lixoluxopóetico no âmbito do FOMe

Regionais
Tools
Typography

O concelho de Loulé volta a fazer parte de mais uma edição do FOMe – Festival de Objectos e Marionetas & Outros Comeres, o qual decorrerá este ano, entre 13 e 28 de setembro, num total de seis municípios do Algarve Central: Albufeira, Faro, Loulé, Olhão, São Brás de Alportel e Tavira.

Com cerca de uma dezena de espetáculos agendados para Loulé, o workshop CHÁ:VENA com João de Barros Oliveira (Lixoluxopóetico) é a primeira das atividades que irá realizar-se no âmbito deste Festival. A ideia é dar formação prévia (de 7 a 14 de setembro) a um conjunto de participantes (jovens) para criar uma orquestra com objetos do quotidiano doméstico ligado à gastronomia que depois será apresentada ao público em contexto de espetáculo.  

Idealizado para pessoas com idade superior aos 11 anos e com “alguma experiência na esfera musical em percussão”, o workshop ministrado por João Ricardo de Barros Oliveira, um dos mais criativos e originais artistas portugueses na área da performance sonora, decorrerá no Auditório do Solar da Musica Nova (Rua Sacadura Cabral 22, 8100-708 Loulé), entre os dias 7 e 15 de setembro, das 9h30 às 12h00 e das 14h00 às 18h00, com inscrição gratuita. No final estão previstas duas apresentações públicas dos trabalhos desenvolvidos no workshop CHÁ:VENA: no dia 14 de setembro, às 18h00, e no dia 15, às 11h00, no referido Auditório.

Trata-se de um projeto (também designado “Workestrasom”) nunca apresentado em Loulé a nível deste conceito e abordagem artísticos: criar uma orquestra que provoca som e contamina som, com chávenas, pires, copos, bules e colheres. Segundo João de Barros Oliveira, “o propósito do projeto consiste na pré-criação de um grupo de jovens músicos na esfera da percussão, posicionados num palco com os seus artefactos sonoros, com o intuito invisível de criar diálogos plástico sonoros. Dessa forma, encontraremos maneiras diversificadas de produzir sons, descobrindo uma extensão e exploração plástica da relação entre a física e o som.”

De recordar que o formador João de Barros Oliveira já se estreara no Sul do país, precisamente em Loulé no âmbito do festival Som Riscado (em abril deste ano), com uma performance de grande impacto público que não deixou ninguém indiferente de miúdos a graúdos: “Há:Som Directa”.

O artista é natural de Viana do Castelo, trabalha entre Portugal e Alemanha (Berlim), onde centraliza o desenvolvimento da sua atividade de escultor plástico sonoro. A dimensão da sua obra abrange desde esculturas até à conceção de novos instrumentos e objetos sonoros, construídos a partir de todo o tipo de materiais. A criação de objetos esculturais capazes de produzir sons com identidade própria, que nunca estão prontos e evoluem sempre para novas e inusitadas sonoridades, tem sido a sua cruzada de experimentação estética plástica e sonora. O ensaio de novas linguagens num projeto que se alia à escultura e à transformação do lixo em arte sonora. Colaborou com diversos artistas portugueses e estrangeiros, participou em numerosos festivais internacionais, compôs música para filmes, apresentou a sua obra na rádio e televisão na Noruega, Portugal, Espanha, Alemanha, Inglaterra, Áustria e nos Estados Unidos da América

Para mais informações e inscrições os interessados podem contactar o Cine-Teatro Louletano pelo telefone 289 414 604 (terça a sexta-feira, das 13h00 às 18h00) ou pelo email Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar..

O Cine-Teatro Louletano é uma estrutura cultural no domínio das artes performativas da Câmara Municipal de Loulé e está integrado na Rede Azul – Rede de Teatros do Algarve e na Rede 5 Sentidos.

Fonte: GAP da CM LouléConcertoJoaoBOliveira

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS