"Música Clássica para Todos” em Loulé envolveu mais de 750 pessoas

Regionais
Tools
Typography

De 18 a 24 de março, Loulé mergulhou no cativante universo da música erudita sob a batuta do convidado especial e maestro Osvaldo Ferreira, num ciclo temático promovido pelo Cine-Teatro Louletano, o qual percorreu vários pontos do Concelho em diferentes contextos. Foram sete dias cheios em que aconteceram cursos informais sobre história da música, ações de mediação musical nas escolas, concertos comentados, masterclasses e uma carta branca ao convidado, integrando diretamente mais de 750 pessoas no programa integral.

Entre 18 e 20, em três finais de tarde, Osvaldo Ferreira espalhou saber e prazer entre todos aqueles que desfrutaram (e esgotaram as vagas existentes) das conversas descontraídas, em jeito de curso informal, que o reconhecido maestro e comunicador dinamizou no Auditório do Solar da Música Nova, em Loulé.

Foi uma viagem enriquecedora e estimulante pela história da música erudita, desde a Antiguidade com as primeiras formas de expressão sonora até às novas tendências estéticas dos séculos XX e XXI, sem esquecer períodos, compositores e temas fundamentais das fases renascentista, barroca, clássica e romântica, bem como uma incursão por instrumentos de referência como o piano ou violino.

Com uma linguagem acessível e entusiasta, Osvaldo Ferreira revisitou ainda o seu ofício, a arte de dirigir uma orquestra, e a sua visão muito pessoal sobre várias composições musicais em particular num formato de audição comentada. Não faltou a participação especial de um formando especialista na arte de afinar pianos: Manuel Vitorino Santos. Ficou na memória de todos uma viagem prazerosa pela música erudita que soube a pouco e soube a tanto.

O envolvimento da comunidade escolar ao nível do 2.º ciclo foi igualmente uma prioridade deste ciclo, com sessões informais e descontraídas de sensibilização para o universo musical, em articulação com os docentes de Expressão Musical e as dinâmicas pedagógicas que estão a ser implementadas nas escolas, numa lógica de descentralização da programação cultural. O périplo de Osvaldo Ferreira começou pela Escola EB2,3 São Pedro do Mar em Quarteira, com momentos felizes e estimulantes de interação entre alunos (num total de cerca de 100 alunos), professores e maestro. A 20 de março foi a vez de Almancil, com uma sessão na Escola EB2,3 Dr. António de Sousa Agostinho dirigida a um grupo de 30 alunos. Mais uma vez o maestro entusiasmou com a sua postura e discurso, revisitando o seu percurso profissional, a ligação à música e deixando ainda espaço para interagir com o público através de um momento improvisado em que todos participaram cantando ou tocando instrumentos percutivos. Não faltou também a presença de Manuel Rocha, coordenador do Conservatório de Música de Loulé, que também tocou piano e violino num ambiente de grande cumplicidade com os alunos presentes.

No mesmo dia, e imbuído do espírito inclusivo que presidiu a esta semana temática, Osvaldo Ferreira participou ainda numa sessão muito especial que juntou formandos de várias idades e proveniências inseridos na ASMAL – Associação de Saúde Mental do Algarve, sediada em Loulé, destacando-se o animado debate e troca de perguntas e curiosidades entre o convidado e a audiência, havendo ainda lugar a várias improvisações musicais.

Por fim, a 21 de março, as visitas às escolas terminaram da melhor forma com duas sessões de mediação musical realizadas ao longo do dia na Escola EB2,3 Dr. Aníbal Cavaco Silva, em Boliqueime. A manhã começou com uma agradável surpresa, num inspirado momento musical a cargo de alunos da turma de ensino articulado do 8.º B da Escola, em que os instrumentos de sopro e de cordas deram o mote. Seguiram-se depois animados encontros com 4 turmas do 5.º ano (uma delas também do ensino articulado da música) em que o maestro falou sobre os labirintos e fascínios da música, a sua profissão e o seu percurso profissional, deixando ainda espaço para que vários alunos mostrassem o seu talento e tocando mesmo violino com alguns deles. As sessões, que abrangeram cerca de 95 alunos, foram ainda acompanhadas por uma equipa da RTP1 - Delegação de Faro, que entrevistou alguns alunos e o maestro, para inserção no programa “Portugal em Direto”. A fechar este dia, Loulé teve o privilégio de receber uma lenda mundial do piano, a sueco-japonesa Fuzjko Hemming, num concerto comentado por Osvaldo Ferreira, realizado no Auditório do Solar da Música Nova, em Loulé. Hemming é um exemplo impressionante de auto-superação e resiliência, de talento e dedicação, de amor incondicional à música, e deliciou a entusiasmada audiência, que a aplaudiu de pé, com inspiradas e virtuosas interpretações de Scarlatti, Chopin, Mozart, Debussy e Liszt. O entusiasta público presente rendeu-se às mãos "falantes" desta magnífica pianista.

A 22 de março, pelas 21h30, um dos momentos mais aguardados desta semana, mais uma vez numa lógica de inclusão social pela arte. Um grupo de 75 jovens visitou o Auditório do Solar da Música Nova para, na sua maioria, assistirem pela primeira vez a um concerto musical na vertente erudita. O Cine-Teatro Louletano deu carta branca ao maestro Osvaldo Ferreira para que preparasse, junto com um grupo de músicos de topo, um concerto muito especial a pensar sobretudo nos menos familiarizados com este universo musical. Foi uma cativante viagem que percorreu séculos de música, terminando com os ritmos populares do século XX, a que não faltou o "chorinho" brasileiro e as sonoridades de Astor Piazzolla, juntando-se ainda a estreia mundial de uma composição de Gonçalo Pescada para acordeão e orquestra de cordas, inspirada nas sonoridades tradicionais do Algarve: "Corridinho de Loulé". Participaram ainda neste concerto vários músicos fantásticos (que integram a atual formação da Orquestra Filarmónica Portuguesa): Luísa Tender (piano), Suzana Lindegran, Carolina Frederico, Joana Weffort e Hilton Costa (violinos), David Lloyd (viola), Jed Barahal (violoncelo), Jorge Castro (contrabaixo), João Pedro Santos (clarinete) e Eduardo Miranda (guitarra e bandolim). Além de terem realizado uma visita guiada ao novo Conservatório de Música de Loulé e de terem contactado previamente com os músicos no ensaio aberto realizado ao fim da tarde, os jovens adolescentes que participaram nesta iniciativa integram os seguintes projetos (de inclusão social) apoiados pela autarquia louletana: “Espaço K” (Loulé), “Akredita em ti” (Quarteira), “Caminhos” (Boliqueime) e “Mud@ki” (Almancil). Foi uma experiência diferente, única e inédita para muitos deles, tendo alguns no final expressado mesmo a sua vontade de iniciar a aprendizagem de um instrumento musical.

Esta semana terminaria da melhor forma com um grande concerto da Orquestra Filarmónica Portuguesa, realizado no Cine-Teatro Louletano no dia 24 de março pelas 17h00, com uma sala repleta a vibrar com a qualidade e dinâmica musicais da orquestra e, mais uma vez, com a participação especial da pianista Fuzjko Hemming, revisitando obras de Mozart e Beethoven, com destaque para a primorosa interpretação da Sinfonia n.º4, em Si Bemol Maior, Opus 60, que Beethoven escreveu no verão de 1806 e que é uma peça poucas vezes apresentada na maioria das salas de espetáculo.

O envolvimento da comunidade escolar e dos projetos de inclusão social nesta semana temática resultou de uma estreita e regular colaboração entre diversos setores e profissionais da autarquia: o Cine-Teatro Louletano, o Auditório do Solar da Música Nova, o Conservatório de Música de Loulé – Francisco Rosado, a Divisão de Educação e Juventude e a Divisão de Coesão Social e Saúde.

Este ciclo inseriu-se numa estratégia de programação em rede entre o Cine-Teatro Louletano e o Auditório do Solar da Música Nova, que privilegia, entre outros formatos, a realização regular e periódica de semanas temáticas dedicadas a universos musicais diferentes (desde a música clássica ao jazz, do fado ao experimental, do hip hop ao eletrónico, entre outros), sempre com um convidado especial.

Fonte: GAP da CM LouléMusicaClassicaLoule

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS