Faro | Dia Nacional do Doente com AVC

Regionais
Tools
Typography

O Dia Nacional do Doente com AVC, assinalado anualmente a 31 de março, comemora-se um pouco por todo o país ao longo desta semana, com o objetivo principal de sensibilizar a população para o Acidente Vascular Cerebral (AVC), enquanto doença prevenível e tratável. O alerta da Sociedade Portuguesa do AVC (SPAVC) foca-se no combate aos fatores de risco, divulgação das medidas de prevenção, bem como dos sinais de alerta do AVC. Em Faro, a data é assinalada com uma exposição fotográfica, uma caminhada, um rastreio aos fatores de risco vascular e sessões de esclarecimento abertas ao público.

Para além do peso do AVC como grande causador de incapacidade permanente e de mortalidade, a relevância da informação e sensibilização da população nesta data prende-se muito com o facto de ser uma doença que se pode prevenir e tratar de forma eficaz na maioria dos casos, se forem cumpridos determinados cuidados. Metade dos AVC poderiam ser prevenidos controlando a pressão arterial e deixando de fumar, por exemplo. No mesmo sentido, o tratamento adequado na fase aguda pode reduzir as taxas de morte e incapacidade em 50%.

O presidente da SPAVC considera, no entanto, que “ainda se pensa pouco na prevenção em Portugal”, assumindo como missão da SPAVC, desde a sua fundação, a aposta na divulgação das medidas preventivas desta patologia. “Vale a pena lutar e por isso é que estamos aqui e assinalamos esta data anualmente, entre outras ações que vamos desenvolvendo ao longo do ano”, afirma o Prof. Castro Lopes.

Nesta data, voltam a ser reforçadas as principais mensagens a reter sobre AVC. “É preciso conhecer os sinais de alerta – os chamados 3 F’s (falta de força num braço, desvio da face e dificuldade na fala) – e saber que, perante o aparecimento de um deles, a única atitude correta é a de acionar de imediato os serviços de emergência, através do 112”, destaca o médico neurologista. Os fatores de risco são bem conhecidos, desde a hipertensão arterial, a diabetes, o tabagismo, a fibrilhação auricular, até à obesidade e ao sedentarismo. Para além disso, de norte a sul do país são relembradas as medidas de prevenção do AVC, que passam pela adoção de estilos de vida saudáveis como uma alimentação equilibrada, a prática regular de atividade física, não fumar, controlar os valores da pressão arterial, da diabetes e do colesterol, controlando também o peso corporal e limitando o consumo de bebidas alcoólicas.

A Unidade de AVC do Centro Hospitalar Universitário Do Algarve, em Faro, vai assinalar o Dia Nacional do Doente com AVC com um programa de atividades diversificadas abertas ao público, que decorrerão entre os dias 31 de março e 5 de abril. “A iniciativa insere-se nas ações de sensibilização promovidas pela Sociedade Portuguesa do AVC e será dinamizada por um grupo de profissionais médicos, psicólogos, assistentes sociais, enfermeiros, terapeutas, técnicos de cardiopneumologia e de neurofisiologia, dietistas e assistentes técnicos”, explica a Dr.ª Ana Paula Fidalgo, coordenadora desta UAVC.

No dia 31 de março decorrerá uma exposição fotográfica no hall de entrada do edifício central do Hospital de Faro. No dia seguinte, a 1 de abril, será organizada uma sessão de esclarecimento sobre AVC no Auditório da Escola Secundária João de Deus, contando com a colaboração de vários elementos do CHUA. No dia 3 de abril, está agendada uma caminhada pela cidade de Faro, com início no Fórum Algarve, que contará com diversas paragens estratégicas de sensibilização para a importância do exercício físico. Esta ação conta com o apoio do Grupo “Pegadas à 4ª Feira”. Por fim, a fechar a semana de atividades de sensibilização, haverá um rastreio dos fatores de risco vascular à população no dia 5 de abril, a partir das 8h, no Mercado Municipal de Faro.

Segundo a Dr.ª Ana Paula Fidalgo, o principal objetivo destas ações passa por “sensibilizar e motivar a população para a prevenção do AVC e para a identificação precoce de sinais de alerta”. Quanto aos objetivos específicos pensados para as atividades implementadas, a médica internista enumera os seguintes: “sensibilizar a população para a sua participação efetiva na prevenção do AVC; promover a cooperação entre os diferentes níveis de cuidados de saúde; promover parceria entre a SPAVC, as instituições de saúde, municípios e a comunidade; identificar pessoas com risco acrescido para eventos vasculares e diabetes; encaminhar os indivíduos com risco elevado para equipa de saúde; debater a prevenção e diagnóstico do AVC em Faro”.

Fonte: SPAVCDiaDoenteAVCDiaDoenteAVC1

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS