Turismo Sustentável | Novo observatório da RTA

Regionais
Tools
Typography

O Observatório irá dotar a RTA de conhecimento específico e detalhado sobre a região, o qual servirá de apoio à definição da estratégia e apoiará o desenvolvimento e a competitividade turística, assegurando a preservação e a valorização da identidade, património e valores locais, enquanto ativos estratégicos. 

Este instrumento, que está em linha com os objetivos de estudo e monitorização da Estratégia para o Turismo 2027 em matéria de sustentabilidade, será também submetido à Organização Mundial de Turismo (OMT) para que possa integrar a Rede Internacional de Observatórios para o Turismo Sustentável. Os estudos a integrar este Observatório serão realizados pela UAlg, enquanto à CCDR Algarve caberá o acompanhamento técnico e suporte institucional.

O lançamento do Observatório foi feito através da formalização de um protocolo entre as entidades parceiras, que decorreu hoje, 14 de março, no âmbito da BTL e contou com a presença da secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, e dos representantes das entidades parceiras. Para o presidente da RTA, João Fernandes, o Observatório «vai permitir-nos melhorar a gestão sustentável do destino turístico e marcar uma posição pioneira no contexto das regiões turísticas portuguesas e até no panorama internacional. Com a criação deste instrumento assinalamos a nossa proatividade, obtendo importantes ganhos de imagem e notoriedade para a região».

Segundo o presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo, «esta é uma das medidas da Estratégia Turismo 2027 que visa posicionar o destino a nível de competitividade e sustentabilidade. A sustentabilidade dos destinos turísticos é uma prioridade absoluta da política de turismo em Portugal. Com a criação do Observatório do Turismo Sustentável no Algarve criamos as condições para que o planeamento e gestão da maior região turística nacional assentem num conhecimento profundo dos impactos da atividade no território, incorporando as melhores práticas internacionais nesta matéria. Por outro lado, esta iniciativa contribui para afirmar Portugal como líder internacional em matéria de sustentabilidade. A futura integração deste observatório na rede de Observatórios da OMT colocará Portugal como o único país europeu com dois observatórios na rede (depois do Alentejo), que já integra projetos de Espanha, Grécia e Itália.»

Francisco Serra, presidente da CCDR Algarve, congratula-se «por este importante passo, que vem em linha com o desafio lançado no final de 2016 no âmbito do Conselho de Inovação Regional do Algarve, com vista à criação de um centro de conhecimento e inovação em turismo que estimulasse a produção científica em torno desta atividade. Atividade essa que constitui um pilar fundamental da economia regional, mas que pode e deve alavancar oportunidades noutros setores, conforme previmos na nossa Estratégia Regional de Especialização Inteligente, nomeadamente com o mar, a saúde e o agroalimentar.»

Paulo Águas, reitor da Universidade do Algarve, afirma: «será crescente a importância do conhecimento enquanto fator de competitividade dos destinos turísticos. Não se faz boa política pública sem conhecimento. Agentes económicos com mais conhecimento tomam melhores decisões. O Observatório contribuirá assim para aumentar a competitividade do Algarve. Com formação na área do Turismo desde 1991 e com níveis de investigação sólidos, comprovados pela presença no ranking de Xangai, a Universidade do Algarve estará empenhada em contribuir para que o Observatório se transforme numa referência para (e da) região.»

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

ALGARVE NA BTL COM NATUREZA, CULTURA E GASTRONOMIA

O Algarve levou ainda à BTL as apostas para 2019 no âmbito da Natureza, do Património e da Cultura, áreas estratégicas para a consolidação dos bons resultados da região.

Na promoção da região como destino para os amantes da natureza, a grande novidade foi o «Algarve Nature Fest», uma evolução do evento Algarve Nature Week que a RTA tem vindo a organizar nos últimos quatro anos. O festival, que acontecerá desta vez entre 20 e 22 de setembro, em Olhão, tem como objetivo incentivar residentes e visitantes a usufruir das diversas propostas ao ar livre proporcionadas pelo património natural algarvio. Este ano as atividades são gratuitas, bastando uma inscrição prévia para nelas participar, e serão anunciadas em breve no sítio www.algarvenaturefest.pt.

Em foco estiveram igualmente as iniciativas integradas no projeto «Algarve Natural» nomeadamente o novo «Guia de Percursos Pedestres do Algarve» e o inédito «Guia de Turismo de Natureza Júnior», direcionado a crianças dos 5.º e 6.º anos de escolaridade. Este guia pretende dar visibilidade ao património natural do Algarve junto dos residentes e visitantes juniores, convidando-os a partirem à descoberta das diversas paisagens da região, através de textos que apelam à sensibilização para a proteção e conservação da natureza. A publicação apresenta-se com desenhos de estilo naturalista que ajudarão a ilustrar aos mais novos os principais ambientes, habitats e espécies de fauna e flora do Algarve.

Na apresentação da região na BTL, ainda na área da natureza e preservação da identidade e herança culturais, foram apresentados detalhes do «Revitalizar Monchique – o turismo como catalisador», projeto de recuperação e reforço da atratividade turística da serra de Monchique, depois de fortemente impactada pelo incêndio de 2018.

A aposta na valorização do património edificado foi outro destaque da apresentação na BTL com o «Algarve by Choice», um projeto promovido pela RTA para fomentar o investimento na recuperação do património devoluto ou inativo com potencial turístico. Para integrar o portefólio final de imóveis que serão apresentados a potenciais investidores nacionais e internacionais, está a decorrer o processo de inventariação em parceria com as câmaras municipais da região e a APEMIP - Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal.

Na área da cultural, foi realçada a importância do «365 Algarve», cuja 3.ª edição arrancou em outubro de 2018 e decorre até maio, tendo juntado mais de 40 mil espectadores em cerca de 400 eventos, apenas nos primeiros três meses da atual edição. Números de sucesso que vêm garantir a realização da 4.ª edição deste programa cultural, a arrancar em outubro deste ano, que vem reforçar a oferta turística e cultural da região nas épocas de média e baixa procura.

Na gastronomia, foram apresentadas as novidades no âmbito do projeto «Algarve Cooking Vacations», promovido pela RTA e Tertúlia Algarvia. Entre elas está o «Livro de Cozinha do Algarve», com 60 receitas regionais tradicionais e reinterpretadas com inspiração nos elementos «água» e «terra», e o «Livro de Vinhos do Algarve», distribuído pela primeira vez na própria BTL, dando a conhecer a riqueza e o potencial enológico da região através dos seus 160 néctares.

Para complementar o novo «Livro de Vinhos do Algarve», está ainda a ser preparada outra edição sobre vinhos, com descritivo detalhado dos produtores e dos vinhos da região, mas apenas em versão digital, futuramente disponível na área de multimédia do sítio www.visitalgarve.pt.

 

FARO, 2019-03-14

 

RTA_PR_2019_13

 

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS