"Pablo Lapidusas Solo" no Cantaloupe Café, em Olhão

Regionais
Tools
Typography

O Cantaloupe Café, nos Mercados de Olhão, vai apresentar no próximo dia 18 de fevereiro, domingo, às 18h30, um espectáculo com: Pablo Lapidusas

Lançamento do seu songbook (livro com as partituras todas que vai tocar) + apresentação dos seus cds a solo.

Natural de Buenos Aires, iniciou os seus estudos de piano no Brasil ainda criança, tendo obtido o bacharelado em música na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e com mestrado em Performance Jazzistica na Escola Superior de Música de Lisboa ( ESML), onde reside actualmente.

Em 2005 debutou na sala Cecília Meireles- RJ, apresentando se com a orquestra canadense I Musici de Montreal, sob a regência do maestro russo Yuli Turovsky. No ano de 2006, passa a integrar a banda do rapper brasileiro Marcelo D2, gravando 2 álbuns e realizando mais de 400 apresentações em 20 países, com presença em importantes festivais - Montreux Jazz Festival, Hollywood Bowl, Summer Stage (Central Park, NY), Rock in Rio, Lollapalooza, Roskilde, Nice Jazz Festival, Pori Jazz Festival, Back to Black, entre muitos outros.
"Ouriço" (Delira, 2008), seu álbum de estreia, teve excelentes críticas na imprensa brasileira e contou com as participações de Hermeto Pascoal e Carlos Malta. Neste mesmo ano, apresenta-se na série "Piano Solo" (Rio de Janeiro), juntamente com o pianista brasileiro Cesar Camargo Mariano. A convite do próprio Cesar, encerraram o concerto a dois pianos. O segundo disco - "Estrangeiro" (Ekaya/Kalamata, 2013), foi um ambicioso projecto gravado em Buenos Aires, Rio de Janeiro, Los Angeles, Lisboa, Maputo e Londres no antológico Studio 2 de Abbey Road. Este trabalho teve a produção de João Carlos Schwalbach e tal como o seu antecessor, obteve excelentes críticas. Sobre "Estrangeiro", o jornalista e crítico musical brasileiro Antonio Carlos Miguel escreveu: "Trajecto de um livre cidadão do mundo (e da música) "conduzindo" o seu piano sem fronteiras e com criatividade, o que resultou em músicas novas, mesmo que conhecidas e saudavelmente difíceis de catalogar, imprimindo a sua impressão digital a partir de estímulos de uma diversificada formação artística". Em 2015, Pablo lança "Live in Johannesburg" (Ekaya). O projecto "P.L.I.N.T" - Pablo Lapidusas International Trio (primeiro trabalho do pianista fora do formato solo), foi novamente produzido por João Carlos Schwalbach e gravado ao vivo no Clube "The Orbit", durante uma temporada sul-africana. A sua performance impressionou a jornalista sul-africana Gwen Ansell; "Ele ficou impressionado com o silêncio total (podia-se ouvir um alfinete cair) para a sua apresentação, mas talvez não mais impressionado do que o público, por sua técnica surpreendente, mudanças de tempo imprevisíveis, luz e sombras delicadas, e, uma mão esquerda rítmica sólida."  O projecto em trio também rendeu uma indicação para o Jazzahead 2016 (Alemanha), como um dos 16 projectos  a representar a música instrumental Europeia em 2016. Entre 2016/2017 excursionou por Brasil, Índia, Argentina, Uruguai, Coreia do Sul, Alemanha, Luxemburgo, Inglaterra, França, Suiça, Russia, Hungria, Israel, Polonia, Holanda e Portugal. No mesmo ano de 2017 lançou na Europa e em Israel o seu "Piano Works I"  (Rossio Music) - livro de partituras com composições dos 3 álbuns. O mesmo tem prefácio de Edu Lobo. Em 2018 lança o seu quarto Cd -"Bora"- segundo registro discográfico do projeto "P.L.I.N.T" , com participação de Marcelo D2.    

Além de performer, Pablo exerce uma intensa atividade como professor, ministrando aulas e masterclasses em Portugal, Brasil, Índia e Argentina e Israel.

Fonte: Cantaloupe CaféPablo Lapidusas

 

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS