fbpx

CDU confirma-se no Algarve como grande força de esquerda no poder local

POLÍTICA
Typography
1- O PCP assinala o valor do resultado que a CDU obteve nas eleições autárquicas no Algarve. Um resultado que teve de enfrentar na sua construção um conjunto de factores adversos mas que a mobilização e empenhamento de centenas de activistas e candidatos ergueu, afirmando o trabalho, a honestidade e a competência enquanto reconhecida razão de apoio e confiança à Coligação Democrática Unitária. 
 
A obtenção de mais de 16.500 votos e mais de 9%, a obtenção de 81 mandatos directos e a confirmação da CDU como terceira força mais votada na região, confirmando-a como a grande força de esquerda no poder local representa, no quadro em que estas eleições foram disputadas, um resultado que importa e deve ser valorizado.
 
Um resultado que, não iludindo a perda de um vereador em Aljezur e de eleitos nas Assembleias Municipais de Albufeira e Tavira fica marcado pela renovação das maiorias absolutas na Câmara Municipal de Silves e nas juntas de freguesia de Santa Bárbara de Néxe, de São Bartolomeu de Messines e de Silves, pela confirmação da posição do vereador na Câmara Municipal de Vila Real de Santo António e a conquista de novas posições em órgãos municipais, com destaque para a recuperação de um vereador na Câmara Municipal de Lagos ou de um eleito na Assembleia Municipal de Loulé. Com 6 vereadores eleitos na região, 24 eleitos nas Assembleias Municipais e 51 eleitos directos nas Assembleias de Freguesia, a CDU confirmou, no essencial, as posições que já detinha.
 
A não eleição de vereadores da CDU, designadamente nos concelhos de Faro, Olhão ou Portimão onde tal constituía um objectivo assumido (até porque tal representaria a recuperação de posições perdidas em 2017), não apaga o amplo reconhecimento que se verificou sobre o papel da CDU ao longo de toda a campanha eleitoral. Nos casos em que não foi ainda possível assegurar esse objectivo, o PCP não deixará de trabalhar e de lutar, com as populações, para suprir e colmatar, num futuro tão próximo quanto possível, as consequências dessa ausência.
 
2- O PCP sublinha que o resultado da CDU é inseparável de factores que foi necessário enfrentar e que, tendo expressões distintas num ou noutro local, marcaram em geral a sua construção: o peso da epidemia e dos condicionamentos no plano da participação, proximidade e envolvimento populares, essenciais para a construção do resultado da CDU; os efeitos de uma prolongada e intensa campanha anticomunista visando, com recurso à mentira e à manipulação, atingir a reconhecida e distintiva seriedade dos eleitos da CDU; a desfocagem alimentada ao longo de semanas da natureza e objectivos destas eleições, esbatendo o seu carácter local e a distinção nesse plano entre os vários programas e projectos em disputa; a promoção dada a outras forças políticas acompanhada, nalguns casos, de uma ostensiva menorização da CDU; a utilização do aparelho do Estado ao serviço dos objectivos eleitorais do partido do Governo, que foi aliás bem visível no Algarve.

3- O PCP saúda as largas centenas de activistas e candidatos (1600), designadamente o grande número de jovens e mulheres que ergueram a campanha de esclarecimento e mobilização que contribuiu para a construção do resultado eleitoral e todos aqueles que deram o seu voto à CDU. Em cada freguesia e concelho, as populações contarão com os eleitos da CDU para prosseguir o trabalho e a intervenção por melhores condições de vida.

4- Numa região onde pesam as consequências de décadas de política de direita e dos impactos da epidemia, o PCP reafirma o seu compromisso de luta, designadamente, pelo aumento geral dos salários, contra a precariedade e pela valorização dos direitos dos trabalhadores; pelo reforço dos serviços públicos, designadamente do Serviço Nacional de Saúde que está a ser saqueado por parte dos grupos privados de saúde; pela diversificação da actividade económica no Algarve, promovendo as pescas, a agricultura e a indústria; pela exigência de mais investimento público no Algarve, com destaque para a requalificação da EN 125, a construção do Hospital Central do Algarve, a requalificação das barras e portos algarvios, o reforço da oferta de transportes públicos, a resposta ao grave problema da habitação com que se confrontam milhares de algarvios; o fim das portagens na Via do Infante; o apoio à cultura e ao desporto, como direitos inseparáveis da vida das populações.

5- Os 81 mandatos directos obtidos pela CDU nestas eleições no Algarve corresponderão a uma decidida intervenção com que as populações podem contar. O apoio agora recolhido será integralmente colocado ao serviço das populações. Mas será também um factor que contará para prosseguir a intervenção e a luta por melhores condições de vida, por uma política alternativa patriótica e de esquerda que o Algarve e o País precisam.
 
PCP Algarve
PCPAlgarve