fbpx

PCP ouviu preocupações dos representantes de Restaurantes e de Discotecas no Algarve

POLÍTICA
Typography

Numa jornada dedicada a problemas diversos que atingem a região do Algarve, João Dias, deputado do PCP eleito na Assembleia da República participou em várias iniciativas no passado dia 14 de Dezembro. Para além das acções realizadas em Faro e Olhão - duas tribunas públicas dedicadas respectivamente à defesa dos serviços públicos e contra as portagens e pela Requalificação da EN 125 – realizaram-se também duas reuniões, designadamente com a direcção da AHRESP –Associação da hotelaria, restauração e similares de Portugal e com a ADSA - Associação de Discotecas do Sul e Algarve.

Em relação à restauração, a delegação do PCP confirmou o conjunto das dificuldades que atingem este sector, decorrentes das quebras verificadas no turismo, mas também das limitações impostas pela declaração do Estado de Emergência ou de medidas como o “recolher obrigatório” e que não têm sido compensadas pelos apoios, insuficientes e limitados, que o governo decidiu até ao momento. Num sector constituído fundamentalmente por micro e pequenas empresas, muitas delas de âmbito familiar, o PCP reafirmou que o combate à epidemia não passa pela proibição de actividades como a restauração, mas por medidas e apoios que salvaguardem as medidas sanitárias, bem como, de apoios ao rendimento dos MPME, designadamente para que se assegure o pagamento dos salários, o levantamento das restrições no acesso a apoios decididos, o pagamento de rendas comerciais ou o efectivo apoio aos sócios-gerentes.

Quanto às discotecas no Algarve - sector que também contribui para o desenvolvimento da actividade turística na região e assegura dezenas de postos de trabalho - estão fechadas desde Março sem que se vislumbre data para a sua reabertura. Num sector cuja natureza tem as suas próprias especificidades face à epidemia, o PCP transmitiu a necessidade de se atribuírem apoios a estas empresas – MPME - que impeçam a sua liquidação e assegurem os postos de trabalho até que a sua actividade possa ser retomada, de forma faseada, em condições de segurança.

PCP AlgarveJoaoDiasPCPFaro