Dia Nacional do Mutualismo | Mutualidades contribuem para uma Economia ao Serviço das Pessoas e do Planeta

Nacionais
Tools
Typography
  • No Dia Nacional do Mutualismo, a Associação Portuguesa de Mutualidades (APM – RedeMut) organiza, em Gaia, a conferência “Como pode o Plano de Ação Europeu para a Economia Social contribuir para potenciar uma economia ao serviço das pessoas e do planeta?”
  • Evento dividido em dois painéis com vários convidados, entre os quais António Costa e Silva, Maria de Belém Roseira e Francisco Assis.
  • A APM - RedeMut é composta por 24 mutualidades que cooperam na prestação de cuidados de saúde e na proteção social dos seus associados

O Dia Nacional do Mutualismo, que se assinala a 25 de Outubro, fica este ano marcado por uma conferência que acende o debate em torno da economia social. “Como pode o Plano de Ação Europeu para a Economia Social contribuir para potenciar uma economia ao serviço das pessoas e do planeta?” é o tema do evento organizado pela APM – RedeMut, que se realiza na própria segunda-feira, às 10h, no Auditório Manuel Menezes de Figueiredo da Assembleia Municipal de Gaia.

A conferência

O programa divide-se em dois momentos que pretendem responder a perguntas fundamentais para a consolidação da nossa sociedade. O primeiro painel debruça-se sobre as condições que são necessárias garantir na Europa para que a Economia Social cumpra todo o seu potencial. Moderado pelo Vice-Presidente da APM-RedeMut Pedro Bleck da Silva, este painel conta com Patrick Klein (Responsável pelo Setor da Economia Social e do Empreendedorismo Social da Comissão Europeia), Manuel Pizarro (Deputado do Parlamento Europeu), Alain Coheur (Membro do Comité Económico e Social Europeu - Secção Especializada de Emprego, Assuntos Sociais e Cidadania) e Víctor Meseguer (Diretor da Social Economy Europe).

Como se pode articular o Plano de Recuperação e Resiliência Português com o Plano de Ação Europeu para a Economia Social é o tema do segundo painel, moderado pelo Presidente da Câmara de Vila Nova de Gaia, Eduardo Vítor Rodrigues. Do lado institucional, intervém neste debate António Costa e Silva (Presidente da Comissão Nacional de Acompanhamento do Plano de Recuperação e Resiliência), ao lado dos atores da economia social Paula Roseira (Associação Mutualista Benéfica e Previdente), Rui Pedroto (Fundação Manuel António da Mota), Rosa Maria Neto (CERCICA - Cooperativa para a Educação e Reabilitação de Cidadãos Inadaptados de Cascais), Isabel Rebelo (SEIS - Sociedade de Estudos e Intervenção em Engenharia Social), Rosa Araújo (Associação Coração Amarelo – Instituição Particular de Solidariedade Social) e António Tavares (Santa Casa da Misericórdia do Porto).

O encerramento da conferência está a cargo de Maria de Belém Roseira (Ex-Ministra da Saúde e Ex-Ministra para a Igualdade) e Francisco Assis (Presidente do Conselho Económico e Social).

O evento é presencial, com transmissão em direto em https://apmredemut.pt/ e na página do Facebook da APM – RedeMut.

O Dia do Mutualismo

Esta iniciativa da Associação Portuguesa de Mutualidades pretende comemorar a data histórica para o movimento mutualista português, que se celebra a 25 de outubro. O dia sensibiliza para a necessidade de debater os problemas do setor da Economia Social, procurando soluções que promovam o fortalecimento do movimento mutualista.

O mutualismo é essencialmente um sistema solidário de entreajuda, criado para ajudar as pessoas nas adversidades através das instituições que lhe dão corpo, as mutualidades. Em Portugal, a maioria das mutualidades antecederam o Serviço Nacional de Saúde e dedicam-se à prestação de cuidados de saúde para os seus membros ou para aqueles que a elas recorrem. «Corporizam, assim, as mutualidades, um sistema de saúde, do sector social, que embora percursor, assume hoje o carácter de complementaridade relativamente ao Serviço Nacional de Saúde, a que todos temos direito por força de princípios constitucionais», refere o Vice-Presidente da APM - RedeMut, Pedro Bleck da Silva.

A APM - RedeMut

Desde setembro deste ano que a Associação Portuguesa de Mutualidades integra o Conselho Nacional para a Economia Social (CNES), uma grande conquista para quem já tem uma voz ativa no setor e já fazia parte, desde 2018, do Conselho Económico e Social (CES) e da Confederação Portuguesa para a Economia Social (CPES).

Recorde-se que a APM - RedeMut nasceu da iniciativa de 24 associações mutualistas portuguesas*, que uniram esforços em torno do objetivo comum de prestar cuidados de saúde aos seus associados. Além de disponibilizar cuidados de saúde de qualidade - com tempos de espera record que podem inclusivamente ajudar o Serviço Nacional de Saúde - as mutualidades também garantem proteção social aos seus membros.

Segundo dados do observatório mutualista de 2018, as associadas da APM - RedeMut apoiaram 1792 pessoas e 480 famílias em respostas de família e comunidade; 639 crianças e jovens (creches, pré-escolares e ATL); 539 pessoas idosas (ERPI e centros de dia) e 54 pessoas vítimas de violência doméstica.

*Benéfica e Previdente, Beneficência Familiar, Lacobrigense, Mutualidade da Moita, Previdência Portuguesa, Vilanovense, CSC – ASMECL, ASM Ponta Delgada, Montepio Nossa Senhora da Nazaré, Associação Mutualista Montepio,  ASM João de Deus, União Mutualista N.S da Conceição, Mutualidade Popular, Montepio Rainha D. Leonor, Casa da Imprensa, ASM 4 de setembro de 1862, Associação Mutualista Freguesia de Vilar, MONAF, MUSSOC, AME Associação Mutualista dos Engenheiros, Lutuosa de Portugal, ASM Fúnebre Familiar de Ambos os Sexos de Pedroso.

ADBDCMutualismoprograma

 

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS