Banner Alto Página

Notícias

Grid List

A Câmara Municipal de Loulé tem adotado desde o dia 6 de março, aquando da aprovação do seu Plano de Contingência Municipal, um conjunto de medidas e ações no âmbito de prevenção e combate à pandemia COVID-19.

Neste sentido, foi definido pelo executivo municipal que a prevenção e o combate a esta crise revestem-se de 5 grandes pilares de atuação:

  1. Limpeza, higienização e desinfeção dos espaços públicos, apoio na disponibilização de diversos equipamentos de proteção individual e de material de combate à epidemia a diversas instituições (Hospital do Algarve, Centros de Saúde, Juntas de Freguesia, Escolas, IPSS, etc), incluindo os próprios serviços municipais, e apoio à criação do Centro de Despistagem do COVID-19, Drive Thru, no Parque das Cidades.

A atuação efetuada nesta área permite salvaguardar a saúde e segurança das pessoas em relação a possível contágio futuro, bem como responder de forma mais eficaz a situações dos grupos mais vulneráveis, no montante global de cerca de 1 milhão de euros.

Nas medidas e ações já anunciadas, de salientar igualmente a criação de uma ferramenta on-line de informação sobre o COVID-19, http://covid19.cm-loule.pt

  1. Criação de uma Linha Loulé Solidário gratuito em colaboração com as Juntas de Freguesia do concelho e reformulação da Bolsa de voluntariado Local existente, criação de Centros de Acolhimento e do Refeitório Social em Quarteira.

A atuação na área social permite acompanhar situações vulneráveis ao nível de grupos de maior risco, como sejam os idosos ou pessoas com mobilidade reduzida, através da Bolsa de Voluntariado Local, mas também no apoiar psicologicamente muitas pessoas de diferentes natureza, através da linha de apoio social. Como resposta também a estas situações, foram criados centros de acolhimento como complemento à disponibilização dos cuidados de saúde, bem como o refeitório social, numa altura de início de crise com tempo indeterminado.

Nas medidas e ações já anunciadas, de salientar um reforço orçamental de 100% para o atual Regulamento Loulé Solidário próximo dos 500 mil euros como combate às situações sociais mais agravantes do nosso concelho.

  1. Atribuição de uma comparticipação financeira aos quatro agrupamentos de escolas e escolas não agrupadas do concelho, no montante de 280.000,00€.

Numa altura em que devem ser criadas condições especiais para que o processo de ensino-aprendizagem seja plenamente conseguido e que ninguém fique para trás, apenas e tão só porque não possui os instrumentos necessários e indispensáveis, tais como equipamentos eletrónicos e ligação à Internet, ao acompanhamento escolar, a Câmara Municipal deliberou apoiar os agrupamentos escolares, uma vez que estes não possuem os meios financeiros necessários para o desenvolvimento do processo ensino aprendizagem numa situação pandémica tal como a que vivemos atualmente.

  1. A isenção do pagamento das rendas de habitação social nos meses de abril e maio a todas as famílias que têm contratos de arrendamento com o município.

A Pandemia COVID-19 tem tido grande reflexo na atividade económica, no emprego e nos rendimentos das pessoas, de tal forma que o Governo da República decretou um regime excecional e temporário para o pagamento das rendas durante o período em que vigorarem as medidas excecionais de contenção da pandemia provocada pelo coronavírus/Convid-19.

Da mesma forma, a Câmara Municipal de Loulé entendeu proteger o bem-estar das famílias louletanas e, particularmente, aquelas em situação mais vulnerável, no sentido de se garantir a estabilidade mínima das mesmas e enquanto não for ultrapassado este período exceção.

  1. Isenção de diversas taxas relacionadas com a atividade económica na ocupação do espaço público e isenção de rendas de concessão de espaços municipais e moratória no pagamento das faturas de abastecimento de água e resíduos.

Dada a incerteza quanto ao regresso à atividade económica normal, muitas empresas têm os seus negócios em risco, uma vez que se encontram encerradas por tempo indeterminado devido à pandemia COVID-19. Assim, foi deliberado pelo Governo da República Portuguesa um primeiro conjunto de medidas de apoio às empresas, no montante de 3 mil milhões de euros (consultar em www.covid19estamoson.gov.pt/medidas-excecionais), bem como diversas medidas de proteção social às pessoas.

No âmbito das suas competências e atribuições, a Câmara Municipal de Loulé tem vindo a adotar, de forma complementar ao nacional, um conjunto de medidas no decorrer da evolução desta crise de saúde pública, social e económica, da qual resulta de uma complexidade de possíveis ligações, da necessidade, do equilíbrio, da expetativa e do sentido de responsabilidade no exercício da política pública.

Tendo o concelho de Loulé cerca de 14 mil empresas, das quais 96,4% são Pequenas e Médias Empresas (PME) com menos de 10 trabalhadores, na sua maioria ligadas às áreas da Alojamento, Restauração e similares e Turismo em geral, no âmbito da sua política económica e orçamental local, e como forma de complemento às linhas de crédito, fiscalidade e incentivos nacionais, a Câmara Municipal de Loulé adotou 11 medidas de apoio à liquidez e tesouraria das empresas e das famílias, num montante estimado de cerca de 2 milhões euros para os próximos meses de Abril e Maio de 2020, nomeadamente:

  • Isenção das tarifas fixas aplicadas aos serviços de fornecimento de água, de tratamento de águas residuais e de recolha de resíduos sólidos urbanos para os clientes não domésticos para os meses de Abril e Maio de 2020, devido à suspensão de atividade de muitos estabelecimentos;
  • Prolongamento do prazo limite para pagamento das faturas de água emitidas durante os meses de Abril e Maio de 2020 por mais seis meses. Esta medida terá como consequência para o Município o não recebimento imediato de cerca de 1,7 milhões de euros;
  • Alteração temporária do documentos solicitados para a atribuição do Tarifário Social da Água aos utilizadores domésticos, devido à possível alteração laborar e como forma de proteção social imediata;  
  • Isenção do pagamento de taxas de Estacionamento de Duração Limitada do Município de Loulé, nos meses de Abril e Maio de 2020, uma vez que não existe circulação automóvel suficiente para o incentivo à rotatividade;
  • Utilização dos Transportes Públicos Urbanos do Município de Loulé de forma gratuita e sem necessidade de qualquer validação de bilhete ou cartão, nos meses de Abril e Maio de 2020, tendo em conta as restrições impostas, bem como a disponibilidade monetária para este serviço;
  • Utilização do Parque Municipal de Loulé de forma gratuita, livre e por tempo ilimitado, nos meses de Abril e Maio de 2020, uma vez que não existe circulação automóvel suficiente para a respetiva manutenção diária do espaço;
  • Isenção do pagamento de taxas municipais referentes à ocupação de espaço público com esplanada aberta e seus componentes e esplanada fechada, por tempo indeterminado, devido à suspensão de atividade de muitos estabelecimentos;
  • Isenção do pagamento de taxas municipais referentes à ocupação do espaço aéreo e espaço público com toldos, reclames, cavaletes, suportes publicitários, expositores, vitrinas e similares, por tempo indeterminado, devido à suspensão de atividade de muitos estabelecimentos;
  • Isenção do pagamento de taxas municipais referentes à ocupação do espaço de feirante e vendedor ambulante, devido a não poderem exercer a sua atividade;
  • Não pagamento das prestações das concessões dos espaços municipais de café e similares correspondentes aos meses de Abril e Maio de 2020, devido à suspensão de atividade obrigatória.
  • Isenção do pagamento de taxas municipais de concessões dos módulos comerciais e das lojas no Mercado Municipal de Loulé, correspondente aos meses de abril e maio de 2020, podendo ter prorrogações mensais.

Neste caso particular da política económica local do Município de Loulé, teremos de ser capazes de definir e implementar diversas ações de difícil decisão para o erário público, como estas, tendo em conta os constrangimentos existentes e incertos ao nível das receitas e das despesas. Neste sentido, não podemos ficar indiferentes de que passamos por uma situação única e excecional na vida das empresas e das pessoas e que terá consequências sociais e económicas a curto e longo prazos, pelo que a Câmara Municipal de Loulé, na sua ação de intervenção nos moldes legais atuais, tudo fará para minorar os impactos negativos desta crise, bem como alavancar a economia local fundamental para a manutenção do emprego no concelho de Loulé.

O Município está a trabalhar para proteger a população, cuidem de vós e da vossa família, seguindo as indicações das autoridades de saúde pública e das forças de segurança.

Juntos vamos conseguir vencer esta terrível pandemia.

GAP da CM Loulé

CamaraMunLoulé

 

O Presidente da Câmara Municipal de Albufeira emitiu hoje um Despacho onde isenta os comerciantes do pagamento das taxas de publicidade. Mais uma, entre as diversas medidas encetadas já pelo Executivo, com vista a apoiar a economia local e, consequentemente, as famílias do concelho, face às consequências da pandemia Covid-19. José Carlos Rolo diz que todas as medidas que têm sido encetadas em Albufeira “afiguram-se como essenciais”.

O Presidente da Câmara Municipal de Albufeira emitiu hoje um Despacho onde isenta o comércio de pagar as taxas de publicidade. Este despacho tem uma vigência de três meses, a partir do dia 1 de abril e visa apoiar a economia do Município.

Este despacho enquadra-se no âmbito das diversas medidas que o Município de Albufeira tem vindo a adotar face à Covid-19, devido à necessidade de encetar ações que diminuam o impacto da pandemia nas populações e nas atividades económicas locais.

Ao abrigo da Lei 75/2013, de 12 de setembro (nº3, artigo 35.º), o presidente da Autarquia detém a possibilidade de deliberar com ratificação posterior pela Câmara Municipal, atendendo a que as reuniões semanais foram suspensas, dado o contexto atual, não sendo por isso também possível a realização de reuniões extraordinárias.

José Carlos Rolo refere que estas e outras medidas que o Município tem tomado “afiguram-se como essenciais” para que todas as franjas da população “recuperem desta fase difícil provocada pela pandemia”. O autarca justifica que “urge continuar a tomada de medidas de apoio à atividade comercial afetada, apoiando assim a economia e as famílias do concelho”.

GRP da CM Albufeira

JoseCarlosRolo

Vamos celebrar o Dia do Livro Infantil?

Querem receber o e-book "Temos Macacos?" e ainda participar no sorteio dos 20 livros em versão papel que temos para oferecer? Basta clicar aqui: https://mailing.atealua.pt/a7w7g6 e estar com atenção ao e-mail (pode ir para o spam).

O sorteio dos livros é no sábado, 11 de Abril, no fim do direto das histórias, às 11h30 no nosso facebook...

Partilhem com os amigos!

Até à Lua

DiaLivroInfantil

 

Numa altura em que todos os esforços são poucos para apoiar os profissionais de saúde, a Câmara Municipal de Loulé disponibilizou ao Centro Hospitalar Universitário do Algarve (CHUA) os seus serviços de costura para a confeção de material de proteção de médicos, enfermeiros, auxiliares de saúde e outros profissionais que trabalham para combater a pandemia do novo coronavírus na região.

Assim, neste momento de crise, as costureiras da Autarquia deixaram de lado os fatos de Carnaval entre outros serviços realizados pelo ateliê de costura, para se dedicarem exclusivamente à nobre causa de confeção de perneiras e cogulas, uma peça de proteção da cabeça, ombros e região cervical, feita de material resistente a fluido, usada sobretudo por profissionais de saúde no tratamento de indivíduos afetados por doenças com risco elevado de propagação.

O tecido do tipo TNT foi fornecido pelo CHUA, enquanto que a Câmara de Loulé, para além da mão-de-obra, apoia esta produção com outro material necessário para criar as peças como elásticos e velcros.

As três costureiras municipais irão disponibilizar os moldes dos artigos a outras costureiras voluntárias de vários pontos do concelho, tais como Alte, Benafim e Quarteira, que se prontificaram para participar neste projeto, o que permitirá alargar esta rede de produção e, consequentemente, o número de cogulas e perneiras produzidas. Até ao momento já foram entregues ao CHUA 27 perneiras e a partir de hoje haverá capacidade para produzir cerca de 150 cogulas, artigos que serão determinantes para proteger quem trata de doentes infetados com covid-19.

“Queremos, desta forma, dar o nosso contributo para apoiar estas mulheres e homens que são os verdadeiros heróis nesta luta desigual contra um inimigo invisível do qual ainda se conhece muito pouco. São profissionais, mas acima de tudo seres humanos, que diariamente combatem esta pandemia, pondo em risco a sua própria vida para salvar as de outros”, considera o autarca de Loulé, Vítor Aleixo.

Recorde-se que, numa altura em que o material de proteção, essencial para os profissionais de primeira linha, escasseia em todos o país face ao aumento de casos de infetados pelo novo coronavírus, a par desta iniciativa, a Câmara tem desenvolvido e apoiado diversas ações para contornar o problema, tais como a produção de viseiras de proteção através do uso de impressoras 3D, ou a repartição do material disponível entre as juntas de freguesia e IPSS do concelho.

http://covid19.cm-loule.pt

GAP da CM Loulé

CostureirasLoule1CostureirasLoule

Situada na Vila Adentro na Antiga Fábrica da Cerveja, a Associação Recreativa e Cultural de Músicos (ARCM) foi fundada em 1990 e no decorrer destes anos tem vindo a desenvolver e a apoiar os jovens do concelho de Faro e adjacentes, nas suas mais diversas formas e expressões artístico culturais.

A ARCM tinha agendada para este dia 4 de abril, em pleno estado de emergência declarado, a festa do 30º aniversário, com vários artistas, bandas e músicos do panorama nacional convidados, entre os quais os Ena Pá 2000. Adiada a festa para dias vindouros, em que o distanciamento social já não seja uma regra, é grande preocupação da Associação ajudar os artistas da casa – os tantos músicos, atores, poetas, técnicos, todos aqueles que vivem de alguma forma das artes do espetáculo, na sua grande parte precários, e que se veem numa situação económica mais difícil.

Abril em Casa é uma iniciativa que pretende ajudar os artistas da ARCM, através da angariação de donativos para a ARCM. No dia 4 de abril, num evento em direto no facebook que se inicia às 18h50,  a Música, o Teatro e a Poesia fazem-se presentes – da casa dos artistas para a casa de todos. 

Esta é a primeira das várias iniciativas que a Associação pretende promover, de modo a dar apoio aos artistas que viram a sua forma de subsistência impedida, em época de pandemia.

ARCM

AssRCMFaroAssRCMFaro1

Não tenhais medo! Ressuscitou! Celebrar a Páscoa é deixar-se contagiar pela alegria que inundou o coração de quantos experimentaram e testemunharam a presença de Cristo ressuscitado, naquele primeiro dia da semana, quando as mulheres, sobressaltadas e assutadas, ao verificarem que a pedra do sepulcro estava removida, escutaram do anjo o anúncio da ressurreição: “Não tenhais medo! Sei que procurais Jesus, o Crucificado. Não está aqui, pois ressuscitou como tinha dito. Ide, depressa, dizer aos seus discípulos: Ele ressuscitou dos mortos!” (Mt 28, 5-6: vigília pascal).

É esta alegre notícia, acolhida pelas mulheres e levada, sem demoras, aos apóstolos e, depois, confirmada pessoalmente por Pedro e João, notícia que passará de boca em boca, de geração em geração, e que cada Páscoa celebra e atualiza, chegando também a nós com a mesma novidade e intensidade.

Não tenhais medo, é saudação e proclamação de fé, que a celebração da Páscoa, em tempo de profunda perturbação, nos convida a professar e a partilhar.

Os efeitos provocados pelo Covid-19, o “estado de emergência” em que nos encontramos e a consequente responsabilidade social e cívica de todos, obrigam-nos a celebrar o mistério pascal, núcleo essencial da nossa fé, de “modo diferente”, como diferente tem sido já a vivência deste tempo de Quaresma.

  1. Uma Quaresma “diferente”

Seguramente que as nossas opções pessoais, como caminho quaresmal de resposta ao apelo à conversão, não incluíam quanto estamos a viver, nomeadamente:

- a amarga experiência pessoal ou familiar da infeção deste vírus, inclusive com o internamento e a morte de entes queridos, sofrimento agravado pela impossibilidade duma digna “última despedida”;

- o “jejum heroico” do relacionamento humano e social, mesmo familiar, que esta situação exige, obrigando-nos a permanecer “em casa”;

- o “jejum da comunidade eclesial”, da Palavra partilhada em Assembleia dominical, da Eucaristia festiva e participada, das celebrações penitenciais, das procissões quaresmais, das celebrações da Semana santa, do Tríduo pascal…

- o confronto com a fragilidade humana e a provisoriedade dos nossos projetos pessoais e familiares;

- o questionamento sobre os critérios e valores que norteiam e fundamentam a nossa vida, inspiram as nossas opções, determinam as nossas prioridades, em relação ao que somos, ao modo como vivemos e ao que fazemos.

Sobre isto, e tudo o mais, somos convidados a lançar o “olhar da fé” e, à luz do discernimento do Espírito, a encontrar os imperativos que esta situação nos sugere.

Ajuda-nos, neste propósito, a imagem e a mensagem do Papa Francisco, antes da bênção urbi et orbi (à cidade de Roma e ao mundo), que acolhemos em nossas casas, sexta-feira passada. A imagem do Papa, sozinho, se bem que acompanhado por uma multidão incontável dispersa por todo o mundo, deu-nos a dimensão do “deserto” que a luta contra este vírus nos obriga a atravessar. Deserto que mais do que o vazio provocado pela ausência dos outros e da “agitação quotidiana”, é presença de silêncio e de amor fecundo. É no deserto que Deus “fala ao coração do seu povo” e o convida a repensar a verdade e a qualidade do culto que lhe presta, e a fidelidade à aliança celebrada no monte Sinai.

Na sua mensagem, o Papa Francisco leva-nos, face à tempestade que se abate sobre a humanidade, a aperceber-nos da nossa “vulnerabilidade” e das “falsas e supérfluas seguranças” em que se apoiam os nossos projetos, hábitos e prioridades; da tendência em remeter para o esquecimento e o dispensável, “aquilo que nutre, sustenta e dá força à nossa vida e à nossa comunidade”; das tentativas em nos anestesiar com hábitos aparentemente «salvadores», incapazes de fazer apelo às nossas raízes e evocar a memória dos que nos precederam, privando-nos assim da imunidade necessária para enfrentar as adversidades”; da maquilhagem perdida, deixando a descoberto os estereótipos com que mascaramos o nosso «eu», sempre preocupado com a própria imagem e revelando, uma vez mais, a abençoada pertença comum da qual não podemos fugir: somos irmãos, precisamos uns dos outros e seguimos juntos na mesma barca. É importante estar unidos e a remar na mesma direção.

Nesta tempestade que atravessamos, é também o Senhor que nos abana e nos desperta, do entorpecimento a que a vida agitada nos conduz, e nos convida “a ativar a solidariedade e a esperança, capazes de dar solidez, apoio e significado a estas horas em que tudo parece naufragar”.

É o Senhor que nos desperta a nós, para reanimar a nossa fé pascal, apoiados na sua cruz, âncora que nos salva, leme que nos guia a porto seguro, abraço que nos cura, para que nada nem ninguém nos separe do seu amor redentor.

  1. A Semana Santa

Com o objetivo de ajudar todos a viver a Semana Santa, ainda que com as limitações a que estamos sujeitos, apresento-vos algumas indicações relativas a cada dia, de modo a que possamos alimentar e fortalecer os laços de fraternidade e de comunhão eclesial que nos unem, mesmo se privados de celebrarmos, como gostaríamos, estes dias.

A celebração da Páscoa da Ressurreição do Senhor, verdadeiro coração do ano litúrgico, não pode ser transferida. Como tal, seguiremos as normas da Congregação do Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, aprovadas por mandato de Sumo Pontífice, bem como da Conferência Episcopal, oportunamente divulgadas.

Teremos igualmente presente o cumprimento de quanto foi determinado pelas autoridades civis e de saúde.

Aos párocos é pedido que informem os seus paroquianos sobre o horário das celebrações, de modo a que possam unir-se em oração nas suas próprias casas ou, onde for possível, participar em direto através das redes sociais, o que, felizmente, já vem acontecendo entre nós, nestas últimas semanas.

  1. a) Domingo de Ramos na Paixão do Senhor

A celebração do Domingo de Ramos introduz-nos na Semana Santa, a semana mais importante do calendário litúrgico pelos mistérios que nela celebramos.

A comemoração da entrada do Senhor em Jerusalém, com a bênção dos ramos e a proclamação do Evangelho (Mt 21,1-11), seguida da procissão, deve celebrar-se no interior do templo; nas igrejas Catedrais adote-se a segunda forma prevista pelo Missal Romano, nas igrejas paroquiais e demais lugares, a terceira:

Na nossa Catedral esta celebração será às 11h00, com transmissão nas redes sociais.

Vem sendo habitual celebrar no Domingo de Ramos o Dia mundial da Juventude, adiado entre nós para os dias 2,3 e 4 de outubro. Trata-se de um dia vivido com particular ênfase pelos nossos jovens. Aliás, neste dia, um grupo expressivo devia estar em Roma, com muitos outros jovens de Portugal a acompanhar os jovens de Lisboa, que receberiam das mãos do Papa Francisco os símbolos das Jornadas Mundiais da Juventude: a cruz e o ícone mariano. Essa celebração e entrega foi adiada para a Solenidade de Cristo Rei.

Nesta minha mensagem a toda a diocese, pretendo deixar uma palavra dirigida aos nossos jovens, inspirada no lema evangélico, escolhido pelo Papa Francisco para a celebração deste ano - jovem, Eu te digo, levanta-te! (cf. Lc 7, 14). Esta ordem de Jesus, dirigida a um jovem defunto, que levava a sepultar, ilumina bem a realidade que, caros jovens, estamos a viver. Acredito que não esteja a ser fácil também para vós “ficar em casa” com as vossas famílias, e que o sentimento de cansaço e prostração vos atinja de modo particular. Também a ti, caro jovem, sobretudo “se perdeste o vigor interior, os sonhos, o entusiasmo, a esperança e a generosidade, (…) o Senhor, com todo o seu poder de Ressuscitado, te diz: “jovem, Eu te ordeno: Levanta-te!” (CV 20)

Levantar-se, continua o Papa Francisco, significa “sonhar”, “arriscar”, “esforçar-se por mudar o mundo”, apaixonar-se pelo que é belo e vale a pena. E quando “um jovem se apaixona por qualquer coisa, ou melhor por Alguém, levanta-se e começa a realizar grandes coisas, podendo mesmo tornar-se sua testemunha e dar acida por Ele”.

  1. b) Tríduo pascal

O tríduo pascal inclui quanto celebramos em Quinta-feira Santa, Sexta-feira Santa e na solene Vigília Pascal: revivemos o mistério da paixão, morte e ressurreição do Senhor. Constituem dias propícios para despertar em nós um desejo mais intenso de nos unirmos a Cristo e de o seguirmos, conscientes de que nos amou até dar a sua vida por nós. Os acontecimentos que o Tríduo Sagrado celebra são a manifestação sublime do amor de Deus pela humanidade, manifestado em Cristo.

O Tríduo inicia na Quinta-feira Santa, com a Missa Vespertina da Ceia do Senhor. Se bem que pela manhã seja habitual celebrar a Missa crismal, este ano foi adiada, pela impossibilidade de, nesta altura, nela participar todo o clero da Diocese, como é habitual. Até esse dia, continuaremos a servir-nos dos mesmos óleos para a celebração dos respetivos sacramentos.

Neste dia comemora-se a instituição do Sacerdócio e a entrega total que Cristo fez de si à humanidade no sacramento da Eucaristia. Na mesma noite em que foi traído, Jesus deixou-nos o mandamento novo do amor fraterno, presente no gesto surpreendente do lava-pés. A celebração deste dia prossegue com um tempo de adoração eucarística, que recorda a agonia de Jesus no Horto do Getsémani. Para Jesus, essa foi a hora do abandono e da solidão, à qual se lhe seguiu a prisão e o início do caminho doloroso do Calvário. Também hoje Ele nos diz, ficai aqui e vigiai comigo.

Procurai encontrar um tempo de silêncio orante e de união a Cristo, nos mistérios que, como Igreja, celebramos neste dia. Neste tempo de sofrimento e perturbação que atinge grande parte da humanidade, somos convidados a iluminar com o sofrimento de Cristo, o sofrimento de quantos, hoje, revivem a sua paixão.

Neste dia, a título excecional,concede-se a todos os Presbíteros a faculdade de celebrar a Missa da Ceia do Senhor, sem o concurso de povo, em lugar adequado. O lava-pés, já facultativo, omite-se, bem como a procissão, no fim da Missa da Ceia do Senhor, guardando-se o Santíssimo Sacramento no Sacrário.

Os Presbíteros que não tenham a possibilidade de celebrar a Missa, em vez dela rezarão as Vésperas (cf. Liturgia das Horas)

Na nossa Catedral a celebração da Ceia do Senhor será às 17h00, com transmissão nas redes sociais.

A Sexta-feira Santa celebra a Paixão do Senhor. É um dia de jejum e penitência, em que tudo convida à contemplação da Cruz. Ela revela-nos a o comprimento, a largura, a altura, e a profundidade de um amor que supera todo o conhecimento e nos enche da plenitude de Deus (cf Ef 3, 18-19). No mistério do Crucificado cumpre-se o virar-se de Deus contra Si próprio, com o qual Ele Se entrega para levantar o homem e o salvar – o amor na sua forma mais radical. A partir do olhar fixo no lado trespassado de Cristo, a que alude S. João (cf. 19, 37), o cristão encontra o caminho do seu viver e amar (cf. Bento XVI, DCE, 12).

Na celebração da Paixão do Senhor, o ato de adoração à Cruz com o beijo seja limitado apenas ao celebrante. Os outros manifestam a sua veneração com um gesto de profunda reverência.

Na Oração Universal, de acordo com quanto prevê o Missal Romano, (pág. 253, n. 12), acrescenta-se uma intenção especial, neste tempo de pandemia, pelos que se encontram em perigo, os doentes, os defuntos e pelos que sofreram alguma perda.

Na nossa Catedral a celebração da Paixão do Senhor será às 17h00, com transmissão nas redes sociais.

O Sábado Santo é o dia do silêncio: a Igreja vigia, contemplativa, junto do sepulcro, unida a Maria, meditando no mistério ontem celebrado e deixando-se iluminar pela luz que brota da cruz gloriosa de Cristo. Cruz que continua entronizada... iluminando e alimentando a oração de quem aguarda, na fé e na esperança, a hora da ressurreição.

À noite celebrar-se-á a Solene Vigília Pascal, na qual a Igreja entoará o canto alegre do Glória e do Aleluia pascal, como expressão de fé, de alegria e de felicidade, porque Cristo ressuscitou e venceu a morte.

Para o “Início da vigília ou Lucernário” omite-se o acender do fogo, acende-se o círio e, omitindo a procissão, canta-se o precónio pascal. Segue-se a “Liturgia da Palavra”. Para a “Liturgia batismal”, apenas se renovam as promessas batismais (cf. Missal Romano, pág. 320, n. 46). Segue-se a “Liturgia eucarística”.

Os presbíteros que não podem de modo nenhum unir-se à Vigília Pascal celebrada na igreja, rezam o Ofício de Leituras indicado para o Domingo de Páscoa (cf. Liturgia das Horas).

Na nossa Catedral a celebração da Vigília Pascal terá início às 21h00, com transmissão nas redes sociais. No Domingo de Páscoa a Eucaristia será às 11h00, também com transmissão nas redes sociais.

No Domingo de Páscoa, às 12h00, toquem-se festivamente os sinos em todas as Igrejas da Diocese, em sinal do anúncio da vitória de Cristo sobre a morte e de esperança para todos, particularmente os que vivem em tempo de grande sofrimento, bem como de comunhão entre todas as comunidades e pessoas da Diocese do Algarve.

Amados irmãos e irmãs, que Cristo ressuscitado revigore a nossa fé, fortaleça a nossa esperança e nos faça crescer no amor, traduzido em gestos fraternos e solidários, nomeadamente no cumprimento de quanto nos é pedido para impedirmos o contágio pessoal e o dos outros.

Confiemo-nos e confiemos a nossa Igreja diocesana e todo o povo do Algarve, particularmente os infetados com este vírus, à proteção do nosso padroeiro S. Vicente e ao amparo da Virgem Maria, Senhora da Piedade e nossa Mãe Soberana.

Contai sempre com a minha oração e a minha solicitude como vosso irmão e pastor. Para todos invoco a bênção e a paz de Deus, nosso Pai.

+ Manuel Quintas, Bispo do Algarve

BispoAlgarve

 

 

 

Reforçando o seu apoio à comunidade, o Lidl Portugal estabeleceu uma parceria com a Federação Portuguesa de Bancos Alimentares para distribuir bens à população: cerca de 130 toneladas, de Norte a Sul do país.

Atento ao desenvolvimento do Covid-19 em Portugal e consciente do seu papel na garantia do bem-estar social, o Lidl tem procurado auscultar as necessidades da comunidade, no sentido de levar ajuda a quem mais precisa. Neste período sem precedentes, a empresa reforça a sua política de doações, entregando bens à comunidade.

Através de uma parceria com a Federação Portuguesa de Bancos Alimentares, que criou a Rede de Emergência Alimentar, a empresa está a distribuir cerca de 130 toneladas de bens alimentares à população, num total de cerca de 150 mil artigos. As necessidades foram identificadas pelo Banco Alimentar Contra a Fome, que está igualmente encarregue da repartição dos bens pelas suas delegações no país, suprimindo assim as carências da população mais vulnerável.

Para Isabel Jonet, presidente da Federação Portuguesa dos Bancos Alimentares contra a Fome, “a mobilização de toda a sociedade neste momento tão difícil reveste-se de importância acrescida e contribui para a coesão social. O apoio do Lidl em produtos alimentares de primeira necessidade, básicos para a alimentação das famílias que ficaram sem recursos ou apoios, permitirá, através da Rede de Emergência Alimentar, assegurar que terão à sua mesa os alimentos de que necessitam, podendo enfrentar os próximos tempos com um apoio indispensável para a sua vida. Com esta grande doação de bens, o Lidl dá provas de preocupação com as comunidades e com a sustentabilidade, sendo de louvar a rapidez com que se prontificou a acudir a esta situação.”

De acordo com Vanessa Romeu, diretora de Comunicação e Responsabilidade Corporativa do Lidl Portugal, “enquanto empresa com um forte sentido de responsabilidade corporativa, que tem como um dos seus pilares de atuação o apoio às comunidades locais, o Lidl está totalmente empenhado em minimizar os efeitos desta pandemia na sociedade, em tudo aquilo que está ao nosso alcance. Continuamos atentos às necessidades de quem mais precisa e tudo faremos para satisfazê-las”.

CV&A

BensAlimentaresLIDL

O Governo aprovou esta quinta-feira o Despacho 4097-B/2020, que determina os circuitos e procedimentos a adotar estabelecimentos de cariz residencial para idosos e equipamentos da Rede Nacional de Cuidados Integrados (RNCCI) onde sejam detetados casos de infeção por Covid-19, visando proteger os utentes e os respetivos trabalhadores.
 
Este despacho prevê a intervenção articulada das Câmaras Municipais, da Proteção Civil, da Autoridades de Saúde locais e da Segurança Social de forma a encontrar equipamentos alternativos para alojar pessoas em isolamento profilático e/ou em situação de infeção confirmada de Covid-19 que, face à avaliação clínica, não tenham necessidade de internamento hospitalar.
Estabelece-se ainda que, quando não existam equipamentos alternativos nos próprios municípios, sejam procuradas soluções noutras autarquias do distrito ou de distritos adjacentes, sempre em articulação entre as várias autoridades. Desta forma, garante-se que os utentes possam ser protegidos, cumprindo os planos de contingência e impedindo a contaminação de mais pessoas.
São ainda definidos os protocolos de atuação em caso de situação de infeção e os passos a seguir por cada uma das entidades envolvidas, bem como as redes de retaguarda a ativar em caso de necessidade.
Este despacho, assinado pelos ministros da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, da Administração Interna, Eduardo Cabrita, da Modernização do Estado e da Administração Pública, Alexandra Leitão, do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, e da Saúde, Marta Temido, procura apoiar as instituições e entidades públicas que tenham de intervir nestas situações, garantindo assim o especial dever de proteção de uma população especialmente fragilizada, como espelhado no Decreto n.º 2-A/2020, de 20 de março.
As normas agora aprovadas aplicam-se aos estabelecimentos de apoio social, residencial, destinados a pessoas idosas, e às unidades de internamento da RNCCI, previstas no Decreto-Lei n.º 101/2006, de 6 de junho, na sua redação atual.
MAI
AdministracaoInterna
 
 
 

A Sociedade Portuguesa do Acidente Vascular Cerebral (SPAVC), organiza, durante a tarde de hoje, um Webinar dirigido a todos os profissionais de saúde diretamente envolvidos na abordagem do Acidente Vascular Cerebral (AVC) no nosso país. Pretende-se, neste debate, avaliar o impacto da pandemia Covid-19 no tratamento do AVC em Portugal.

A rápida evolução e propagação da Covid-19 por todo o mundo, e agora em fase de mitigação em Portugal, obrigou os sistemas de saúde a profundas adaptações do seu funcionamento. Naturalmente, e à semelhança do que aconteceu noutros países europeus, “foi necessário mobilizar com urgência a comunicação social, a população e o Serviço Nacional de Saúde para o combate à pandemia”, salienta o Prof. Vítor Tedim Cruz. “No entanto, esse esforço pode estar a ter um impacto negativo no funcionamento da Via Verde para o AVC e na capacidade da população em diferenciar uma situação emergente, como é um AVC, de uma situação potencialmente urgente, como é a infeção por SARS-CoV-2”, afirma o especialista de Neurologia, esclarecendo que “no primeiro caso, a escala continua a ser aferida em minutos, enquanto no segundo, falamos certamente de dias ou semanas”. 

Neste contexto, a SPAVC mostra-se preocupada com “o impacto potencialmente dramático que este facto terá nas taxas de mortalidade global do nosso país, bem como no estado funcional dos doentes com AVC”, salienta o Prof. João Sargento Freitas, também médico neurologista e membro da SPAVC. Assim, “urge perceber, quantificar e agir perante estes dados, correndo o risco de não conseguirmos evitar as suas consequências também a este nível”.

Procurando facilitar o diálogo entre os profissionais de saúde envolvidos na abordagem do AVC, esta sociedade médica organiza, durante a tarde de hoje, um fórum de discussão em formato de webinar, em parceria com a iniciativa Angels. O programa de trabalhos previstos inclui reflexões multidisciplinares sobre diferentes momentos da cadeia de tratamento do AVC, integrando ainda a apresentação dos resultados de um inquérito quantificativo aplicado pela SPAVC a todas as Unidades de AVC e centros com capacidade para tratamento trombolítico, procurando sinalizar problemas e tendências, bem como analisar especificidades regionais.

Pretende-se, com este debate, partilhar perspetivas, experiências e opiniões, na tentativa de desenvolver uma “estratégia para mitigar os efeitos deletérios desta pandemia também no AVC, de modo a garantir que todos os doentes possam receber os melhores cuidados, mas também que haja profissionais sãos e devidamente protegidos que possam propiciar esses cuidados”, refere o Prof. João Sargento Freitas.

“Neste momento, os profissionais procuram orientações práticas que os ajudem a gerir esta situação de múltiplos desafios e limitações”, reforça a coordenadora a iniciativa Angels em Portugal, Cláudia Queiroga, afirmando que “a Angels tem como missão garantir o melhor tratamento aos doentes com AVC, estando ao lado das instituições e dos profissionais para que isso seja possível”.

“Por tudo isto, temos de nos unir e discutir em conjunto os nossos problemas, nesta casa que é a SPAVC. Só assim conseguiremos depois no terreno, ter o discernimento e convicção para defender o que é mais relevante, para mantermos os bons resultados que vínhamos conseguindo no tratamento dos doentes com AVC em Portugal, apesar da pandemia COVID-19”, finaliza o Prof. Vítor Tedim Cruz, que integra a Direção da SPAVC.

Os profissionais receberão um convite da SPAVC para acompanhar a reunião, que resultará num parecer oficial em nome da Sociedade, a divulgar às entidades decisoras na área da Saúde. Caso se inclua no grupo dos destinatários desta iniciativa e tenha interesse em acompanhar o debate, entre em contacto com a SPAVC.

Acompanhe os canais oficiais da SPAVC:

Website: www.spavc.org

Facebook: www.facebook.com/soc.por.avc

Twitter: www.twitter.com/spavc_pt

Instagram: spavc_pt

LinkedIn: Sociedade Portuguesa do AVC

SPAVC

PandemiaTratamAVC2

 

 

 

 

Oito dias após a sua criação, o Fundo Solidário “Emergência abem: COVID-19” conta já com donativos no montante total de 56.022,93 Euros. Fundação AGEAS, VICTORIA Seguros e Associação Nacional das Farmácias já se juntaram a esta causa, para a qual contribuíram também muitos portugueses individualmente.

O Fundo Solidário “Emergência abem: COVID-19” foi criado para garantir o acesso aos medicamentos, produtos e serviços de saúde a quem está em isolamento social. Promovida pela Associação Dignitude, no âmbito do Programa abem: Rede Solidária do Medicamento, esta iniciativa pretende levar Saúde a quem que se encontra mais frágil no período da pandemia do coronavírus.

«Estamos a travar uma batalha à escala global a que ninguém pode ficar indiferente. Todos somos afetados pela pandemia COVID-19 e todos somos poucos para dar resposta a esta situação. É em momentos difíceis que temos de nos unir para ajudarmos quem precisa. É por isso que apelamos à solidariedade dos portugueses que contribuam para esta causa», afirma Maria de Belém Roseira, embaixadora da Associação. 

  • Os donativos podem ser feitos no website www.abem.pt ou por transferência bancária para o IBAN: PT50.0036.0000.99105930085.59. Os doadores podem enviar comprovativo de transferência, nome e NIF para Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. , para que lhes seja emitido o recibo de donativo.

Através da articulação com as entidades parceiras do Programa abem: (Autarquias, Instituições Particulares de Solidariedade Social, Cáritas e Misericórdias), os beneficiários abem: inseridos em grupos de risco já podem receber os medicamentos de que precisam em suas casas. Adicionalmente, poderão também usufruir desta possibilidade outros cidadãos que devido à Pandemia COVID-19 apresentem necessidades específicas, desde que referenciados por entidades parceiras e apoiados no acesso a medicamentos, produtos e serviços de saúde.

O Programa abem: Rede Solidária do Medicamento da Associação Dignitude é uma iniciativa apoiada pela Portugal Inovação Social, através de Fundos da União Europeia.

LPM

EmergenciaAbem1

Boletim Diário AHRESP (BDA) IV - 02.04.2020 

Informações e Esclarecimentos

Estado de Emergência - Foi hoje aprovado pela Assembleia da República o Decreto Presidencial que renova o Estado de Emergência por mais 15 dias, com fundamento na “verificação de uma continuada situação de calamidade pública”. A renovação do estado de emergência tem a duração de 15 dias, iniciando-se às 0:00 horas do dia 3 de abril de 2020 e cessando às 23:59 horas do dia 17 de abril de 2020.

AIRBNB: Medidas de compensação Covid 19 - A Plataforma de reservas informou que alocou 250 milhões de dólares para devolver 25% da taxa normal de cancelamentos provocados com a covid-19 entre 14 de março e 31 de maio. Adicionalmente, operacionalizou um fundo para os “super anfitriões” no valor de 10 milhões de dólares. Consulte https://ahresp.com/2020/04/airbnb-medidas-de-compensacao/

Instrumento SURE - A Comissão Europeia formalizou uma proposta com vista à mobilização de 100 mil milhões de euros destinados a subsidiar os trabalhadores que tenham sofrido cortes salariais na sequência das medidas adotadas de contenção da pandemia.

Linha de Apoio à Tesouraria para Micro Empresas do Turismo - Continuam abertas as candidaturas a esta linha de apoio que devem ser dirigidas ao Turismo de Portugal. Esta linha de Financiamento amortizável em 36 meses não implica encargos financeiros. Para mais esclarecimentos consulte https://ahresp.com/2020/03/apoio-as-empresas/

Medidas AHRESP

Carência de Pagamentos ao Estado – deve ser decretado um período de carência de 6 meses do pagamento do IVA e da Taxa Social Única, bem como um igual período de carência no que se refere ao pagamento de acordos prestacionais em curso. As empresas que se encontrem em processo de PER – Processo Especial de Revitalização devem também beneficiar de um igual período de carência.

Créditos sobre o Estado e Entidades Públicas – Regularização imediata dos créditos vencidos sobre o Estado e outras Entidades Públicas reconhecidos ao Setor Privado. Pagamento a pronto (máximo de 10 dias úteis) de todas as faturas recebidas pelo Estado, respeitante a produtos/serviços devidamente contratualizados com o setor privado.

AHRESP

AHRESP

 

 

 

 

 

Dando cumprimento às determinações do Decreto que regulamenta o Estado de Emergência, em vigor desde as 00h00 do dia 22 de março, a Guarda Nacional Republicana e a Polícia de Segurança Pública têm vindo a desenvolver uma intensa atividade de sensibilização, vigilância e fiscalização junto da população.

Assim, até às 18h00 de hoje, foram detidas 96 pessoas por crime de desobediência, designadamente por violação da obrigação de confinamento obrigatório e por outras situações de desobediência ou resistência.

No mesmo período, foram encerrados 1.701 estabelecimentos por incumprimento das normas estabelecidas.

O Ministério da Administração Interna, perante a imperiosa necessidade de todos contribuírem para conter o contágio da COVID-19, insiste no cumprimento rigoroso das medidas impostas pelo Estado de Emergência.

MAI

AdministracaoInterna

 

 

A Guarda Nacional Republicana (GNR) contribuiu ativamente, através de quatro Oficiais formadores, para a realização do 1.º Curso de Promoção a Oficial Inspetor (CPOI) da Polícia Nacional de Timor-Leste (PNTL), que terminou no passado dia 09 de março de 2020, no Centro de Formação da Polícia, na cidade de Díli, em Timor-Leste.

Os referidos Oficiais da GNR, especialistas nas áreas Jurídica, Técnico-Profissional, Liderança e de Operações e Informações, encontram-se em Timor-Leste ao abrigo do Acordo de Cooperação entre a República Portuguesa e a República Democrática de Timor-Leste em matéria de Segurança Interna, e ainda de um Protocolo de Cooperação Técnico-Policial estabelecido entre a GNR e a PNTL. 

O CPOI teve por objetivo ministrar formação a 53 Sargentos da PNTL que, ao concluírem o curso com aproveitamento, foram promovidos ao posto de Inspetor Assistente e, por conseguinte, considerados aptos ao desempenho de funções de comando e chefia, com destaque para a função de Comandante de Esquadra.

Os recém-promovidos Oficiais da PNTL receberam formação em diversas áreas de especialização com o objetivo de prestarem um serviço de qualidade aos cidadãos. Desta forma, e com a duração de nove meses, o CPOI constituiu-se como uma inovação formativa e inédita para o Corpo de Oficiais da PNTL, representando um salto qualitativo para a Instituição que se pretende moderna e de excelência.

A GNR vem apoiando a PNTL, desde o ano de 2011, em várias vertentes, designadamente na admissão a cursos de formação e a cursos de promoção das diferentes categorias profissionais, tendo até à atualidade contribuído para a execução de cinco Cursos de Formação de Agentes, um Curso de Formação de Sargentos, vários cursos de especialização e, agora, o 1.º Curso de Promoção a Oficial Inspetor.

GNR-DCRPGNRFormaTimorLeste

Sanofi colabora com o Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos no lançamento de uma vacina contra o coronavírus.

O trabalho com a Autoridade Biomédica de Investigação e Desenvolvimento Avançado (BARDA) utilizará a plataforma de tecnologia recombinante da Sanofi para acelerar o desenvolvimento de uma vacina contra o COVID-19

A Sanofi Pasteur, unidade de vacinas da Sanofi, vai recorrer ao know-how já existente no desenvolvimento de uma  vacina contra a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS) para acelerar o desenvolvimento de uma vacina contra o COVID-19. A Sanofi colaborará com a BARDA, parte do Gabinete de Resposta do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos, ampliando a parceria de longa data entre ambas.

O COVID-19 pertence a uma família de coronavírus que pode causar doenças respiratórias. No final de 2002, surgiu o coronavírus SARS e em 2004, praticamente desapareceu.  Sanofi pretende investigar uma vacina pré-clínica para a SARS que poderá proteger contra o COVID-19. “O mais recente coronavírus vai exigir um esforço colaborativo,  por isso estamos a trabalhar com a BARDA, para avançar rapidamente com um potencial candidato à vacina", afirma David Loew, Global Head da divisão de vacinas da Sanofi. "Ao partilharmos o nosso conhecimento, acreditamos que a colaboração com a BARDA pode fornecer resultados mais significativos para proteger a população deste recente surto".

Sanofi utiliza plataforma inovadora de tecnologia recombinante 

A Sanofi vai usar a sua plataforma de ADN recombinante para produzir uma nova vacina contra o coronavírus de 2019. A tecnologia recombinante produz uma correspondência genética exata com as proteínas encontradas na superfície do vírus. A sequência de ADN que codifica esse antigénio será combinada com o ADN da plataforma de expressão do baculovírus, a base do produto recombinante para o vírus influenza licenciado pela Sanofi, e usada para produzir rapidamente grandes quantidades do antigénio do coronavírus, que serão formuladas para estimular o sistema imunológico e proteger contra o vírus.

"As ameaças à saúde que surgem a nível global, como o novo coronavírus de 2019, exigem uma resposta rápida", referiu o diretor da BARDA, Rick A. Bright, Ph.D. "Ao expandir a nossa parceria com a Sanofi Pasteur e aproveitando a vantagem da utilização de uma plataforma de vacina recombinante licenciada, esperamos acelerar o desenvolvimento de uma vacina para proteção contra o novo vírus".

Sanofi posiciona-se de forma única na investigação de vacina contra o coronavírus 

Em estudos não clínicos, a vacina desenvolvida contra a SARS era imunogénica e oferecia proteção parcial, conforme avaliado em modelos animais. Este trabalho desenvolvido pela Protein Sciences (adquirida pela Sanofi em 2017) fornece um avanço na procura de uma vacina para o COVID-19. Uma vez que existe uma vacina licenciada com base nessa plataforma, tal irá permitir uma investigação e produção de materiais rápidas para uso em testes clínicos. Além disso, a plataforma da Sanofi também tem  potencial para produzir grandes quantidades da vacina desenvolvida.

O compromisso de longa data da Sanofi para a proteção da saúde pública

Este acordo com a BARDA assinala outro marco no compromisso contínuo da Sanofi no combate às ameaças à saúde pública. A Sanofi continua a explorar ativamente oportunidades nas quais a sua vasta experiência em vacinas e as suas tecnologias inovadoras possam contribuir para enfrentar a situação de saúde pública provocada pelo coronavírus, incluindo a partilha da experiência em Investigação & Desenvolvimento de vacinas da Sanofi com a Coligação para Inovações de Preparação para Epidemias (CEPI, na sigla original).

Em dezembro de 2019, a Sanofi assinou um acordo com a BARDA para a criação de instalações de ponta nos EUA para a produção sustentável de uma vacina recombinante adjuvada para uso no caso de uma pandemia de gripe e com base na mesma plataforma tecnológica que será utilizada para o programa COVID-19.

*Nota: Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos (United States Department of Health and Human Services)

RN BEESanofi

A Associação Turismo do Algarve volta a estar presente na feira ITB, de 6 a 8 de março, considerado o maior certame europeu da atividade turística que anualmente tem lugar em Berlim.

Com módulo integrado no stand de Portugal, a ATA expõe mais uma vez nesta Feira de Turismo, o destino Algarve com todas as suas atrações e particularidades, dirigidas não só aos profissionais, mas também aos milhares de visitantes.

Para informações adicionais consultar o website da feira www.itb-berlin.de/en

Produto: Sol e Mar
Mercado: Alemanha

ATAATA

 

A ATA participa no "The Meetings Space Spring 2020", de 5 a 8 de março, um dos principais eventos europeus do produto MI, que este ano terá lugar no Grand Hyatt Abu Dhabi Hotel and Residences Emirates Pearl, em Abu Dhabi, nos UAE.

Esta edição contará com a presença de cerca de 90 buyers oriundos de diversos países Europeus (maioritariamente do Reino Unido e Alemanha), proporcionando à ATA apresentar a oferta do Algarve aos diversos agentes deste sector e também a oportunidade de participar em diversas atividades de networking coordenadas pela organização.

Para informação suplementar deverão consultar o site oficial: www.themeetingsspace.com/spring-2020

Produto: Meeting Industry
Mercado: Europeu

ATAAbuDhabi

ATA

  • 14 de fevereiro foi o dia escolhido para mostrar na passarela do CODE 41 Trending Day uma seleção de propostas de empresárias do mundo da moda que trabalham em Portugal e em Espanha. O desfile teve lugar no FIBES Sevilha – Centro de Conferências e Exposições de Sevilha.
  • A Fundação Três Culturas do Mediterrâneo participa, pelo segundo ano consecutivo, no CODE 41 Trending Day graças ao projeto INTREPIDA, que conta com o apoio financeiro do Fundo FEDER no programa Interreg POCTEP Espanha-Portugal.
  • Cecília Povoas, Denice Rydenfors. Daily Elegance, Ovelha Mãe e Sigues são as quatro empresas apoiadas pela Fundação Três Culturas do Mediterrâneo no CODE 41 Trending Day, para além da desenhadora de calçado portuguesa Maria João Catumba, da empresa Catumba, e da empresa AbotaSadi, ambas caracterizadas pela confeção artesanal e pela qualidade do calçado português.

A Fundação Três Culturas do Mediterrâneo participou, pelo segundo ano consecutivo, com sucesso, na Semana da Moda de Sevilha. A presença das empresárias convidadas duplicou em relação ao ano passado, em que participaram apenas duas empresárias, e este ano foram quatro: Cecília Povoas (Sabugal) Denice Rydenfors. Daily Elegance (Sevilha), Ovelha Mãe (Aveiro) e Sigues (Loulé). Para além destas empresas, os modelos da marca Ovelha Mãe desfilaram com calçado “made in Portugal” graças à colaboração de Maria João Catumba (Braga), fundadora e designer freelancer da empresa de calçado Catumba, bem como de modelos da empresa AbotaSadi, uma marca de referência no mercado de calçado fabricado artesanalmente em Portugal.

Cecília Povoas, sediada no Sabugal, e com uma vasta experiência em moda após a sua formação em Paris, apresentou no CODE 41 Trending Day propostas muito femininas, com excelentes acabamentos e tecidos requintadamente escolhidos. Nas suas propostas há uma constante referência à tradição portuguesa, com casacos para homens de influência vitoriana, acessórios e joias com a tradição da filigrana. Ares românticos em acessórios, como chapéus e bolsas, também criadas por ela.

 

Denice Rydenfors, de nacionalidade sueca, a trabalhar num espaço de co-working em Sevilha, onde vive com a sua família e a partir do qual partilha os seus desenhos para qualquer parte do mundo. A sua coleção “Elegância Sustentável” foi recebida com grande entusiasmo, sabendo manter o difícil equilíbrio entre elegância, feminilidade e um toque arrojado em tecidos vaporosos, decotes sugestivos cuidadosamente elaborados. Juntamente com as suas roupas, as modelos desfilaram com acessórios e joias de alta qualidade, bem como carteiras e bolsas de couro.

A coleção IBÉRIA da marca Ovelha Mãe marcou pelo contraste, numa passarela em que habitualmente predominam coleções de roupas para cerimónias e ocasiões especiais. Ovelha Mãe foi capaz de trazer o calor do ambiente natural em que as suas ovelhas vivem, através de modelos confortáveis, livres e despreocupados, com uma presença sempre ousada de lã através do feltro de lã, presente também no mundo dos acessórios. Uma moda inclusiva, respeitosa e com adereços muito originais, em que se utiliza diretamente a lã de ovelha.

Destacar nesta edição do CODE 42 Trending Day, a generosa colaboração de Carlos Gago, profissional do mundo dos cabeleireiros e embaixador da marca L’Oréal em Portugal, que esteve em Sevilha especialmente para apoiar as empresas portuguesas e para trabalhar em conjunto com a equipa de cabeleireiro do CODE 41 Trending Day.

A seção de acessórios foi extraordinariamente representada pela empresa Sigues, de Sílvia Rodrigues com a sua coleção “Amar Cássima”. Uma coleção que tem uma linha prêt-à-porter e propostas especialmente projetadas para serem apreciadas numa passarela na qual as suas peças brilharam como obras próximas à arte e à escultura contemporânea. Genialmente produzidos a partir de bronze e jornal e graças à colaboração de Jürgen Cramer, artesão da Oficina de Caldeireiros do Loulé Criativo.

Uma das linhas de ação do projeto INTREPIDA é baseado na formação para a internacionalização, tarefa que é abordada tanto na vertente teórica como prática com especialistas e formações nos dois países. A presença no CODE 41 Trending Day e a mobilidade das empresárias foram um grande contributo para colocar em prática uma das seções mais relevantes do projeto, promovendo a internacionalização, especialmente entre Espanha e Portugal.

O projeto INTREPIDA (Internacionalização das Empresárias de Espanha e Portugal para a Inserção, Desenvolvimento e Alianças) é uma iniciativa inserida no INTERREG Espanha-Portugal (POCTEP 2014-2020) e financiada com Fundos FEDER da União Europeia. O seu objetivo é aumentar a competitividade empresarial das PME geridas por mulheres no território transfronteiriço da Andaluzia, Algarve e Alentejo, promovendo a sua internacionalização através de novos modelos de cooperação e desenvolvimento de negócios. A Fundação Três Culturas do Mediterrâneo é o principal promotor deste projeto, em conjunto com diversos parceiros em Espanha e em Portugal: FUECA – Fundação Universitária Empresa da Província de Cádis, Disputación de Huelva, REGIOTIC – Ninho de Empresas de Loulé, NERPOR – Associação Empresarial da Região de Portalegre e do NERE – Núcleo Empresarial da Região de Évora.

INFORMAÇÕES SOBRE OS PROJETOS 

Cecília Povoas Slow Fashion                Ovelha Mãe

Denice Rydenfors. Daily Elegance        • Sigues

LE MCModaPortugalEspanha1ModaPortugalEspanha3ModaPortugalEspanha2

 

 

 

 

 

A Associação Turismo do Algarve irá marcar presença em mais uma edição da feira F.re.e que decorrerá de 19 a 23 de fevereiro, em Munique, na Alemanha.

A F.R.E.E Munique é um dos maiores eventos turísticos do norte da Europa, com cerca de 1300 expositores de mais de 70 países e mais de 14.000 visitantes na edição de 2019, o local perfeito para estabelecer contacto com profissionais do sector e a plataforma ideal para apresentar novos produtos e serviços a profissionais especializados.

Este certame apresenta, para além dos destinos mais populares, os melhores meios recomendados para viajar, actividades de lazer bastante diversificadas, férias tailor-made, programas especiais e destaques para crianças.

Para informações adicionais consultar o website da feira: www.free-muenchen.de

Produto: Natureza
Mercado: Alemanha

ATAATA

 

Esta semana o Futebol Total regressa em novos moldes. De segunda a sexta-feira, não pode perder o programa em direto a partir das casas dos habituais protagonistas.

Quinta feira, dia 26, às 22:00, não perca a entrevista/reportagem de Luís Castro Martins com Bruno Fernandes. Em "The Magnífico Bruno" ficamos a conhecer mais sobre a nova vida do internacional português em Manchester e a sua adaptação ao "maior clube inglês".

A Sofia Oliveira e o Rui Almeida também nos falam a partir das suas casas, no "Diário da Sofia" e no "Diário do Almeida", várias vezes ao longo do dia na antena do 11.

VEJA AQUI A PROGRAMAÇÃO

Canal 11FutebolTotal

Considerando as orientações governamentais e num esforço conjunto de contenção da propagação da COVID-19, a Câmara Municipal de Loulé, a Junta de Freguesia de Quarteira, a Federação de Triatlo de Portugal e a European Triathlon Union decidiram cancelar o XIX Triatlo Internacional de Quarteira – Prof. Carlos Gravata, agendado para os dias 4 e 5 de abril, que este ano iria receber mais uma etapa da Taça da Europa de Elites e Júnior e a Taça de Portugal.

O Conselho Executivo da União Internacional de Triatlo (International Triathlon Union – ITU) decidiu igualmente suspender todas as atividades até 30 de abril, à luz da rápida disseminação mundial da COVID-19, onde se inclui o cancelamento de todas as competições do calendário mundial de triatlo, provas, estágios e outras atividades.

Segundo Vítor Aleixo, edil de Loulé, “à semelhança do que tem acontecido com todos os outros eventos de carácter desportivo, cultural, ou social, agendados para as próximas semanas no concelho de Loulé, tornou-se imperativo cancelar o Triatlo de Quarteira, pelo elevado número de pessoas que reúne na cidade, provenientes de diversos países, numa altura em que o mundo enfrenta uma terrível pandemia, a realização desta prova poderia pôr em causa a saúde pública e a segurança de todos os cidadãos”.

Marisol Casado, presidente do International Triathlon Union e membro do International Olympic Committee (IOC), declarou: “Foi uma decisão difícil de tomar e garanto-vos que a nossa máxima prioridade é a saúde e segurança de todos os atletas, treinadores, dirigentes, intermediários, staff, voluntários e espetadores, assim como toda a família do triatlo. Avançámos com esta decisão convencidos que nos cabe a todos fazer parte da prevenção de modo a parar a disseminação do vírus. Nestes tempos desafiantes, viagens de atletas, treinadores, dirigentes e staff constituem um risco que não queremos ter”.

Todos os eventos do Calendário Mundial e Continental estão adiados até nova comunicação com efeitos imediatos. A ITU aconselha vivamente que as federações nacionais apliquem as mesmas medidas em todo o seu território para evitar a propagação do vírus.

A Câmara Municipal de Loulé, a Junta de Freguesia de Quarteira, a Federação de Triatlo de Portugal e a European Triathlon Union apelam à compreensão dos seus parceiros, dos agentes desportivos, voluntários e público em geral, afetados por esta decisão, e recordam as recomendações e boas práticas das autoridades nacionais de saúde, confiando que só com a colaboração de todos será possível normalizar a vida em sociedade.

GAP da CM LouléTriatloQuarteira

"Os trabalhadores da Administração Pública deverão ficar em regime de teletrabalho sempre que as funções que exercem o permitam, segundo recomendação da Ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública, Alexandra Leitão. A recomendação, causada pela necessidade de conter a pandemia de Covid-19, é transmitida aos serviços pelas respetivas áreas governativas setoriais, e pode ser aplicada a partir do dia 16 de março". Esta resolução enquadra-se num largo conjunto de medidas para conter e combater o aparecimento de novos casos que o Governo aprovou, no Conselho de Ministros de 12 de março.

Na sequência desta recomendação e no âmbito da Situação de Alerta decretada, a Administração da Fundação do Desporto (FdD) vem por este meio informar parceiros, colaboradores e fornecedores sobre a aplicação, com efeitos imediatos, de um Plano de Contingência que visa cumprir de forma eficaz todas as normas de segurança e saúde pública com o objetivo de proteger todos, quer a Equipa quer os que se relacionam com a Fundação.

Sendo esta uma questão de saúde pública e zelando a FdD pela segurança e saúde, informamos que serão aplicadas as seguintes regras:

• Foi reduzido ao máximo a presença de colaboradores nas nossas instalações, encontrando-se a desenvolver as tarefas com regularidade e de forma remota ou em teletrabalho, comparecendo nas instalações por motivos inadiáveis e para qualquer outra situação previamente agendada, acautelando as regras de segurança necessárias;
• Solicita-se que se reduza ao mínimo possível as deslocações de terceiros às nossas instalações – face às necessidades equacionaremos a melhor forma para corresponder;
• Vamos privilegiar as reuniões por videoconferência;
• Sempre que seja necessário entre em contacto com a FdD pelo telefone, telemóvel, e endereços de email disponibilizados no nosso website;
• Iremos diariamente, sempre que se justifique, fazer uma síntese das normas e orientações relacionadas com o assunto e com relevância para o nosso funcionamento;
• Estamos a contemplar todas as orientações do Governo, Segurança Social, DGS para as empresas e Seguradoras;
• Estas definições vão manter-se até ao final do período de emergência e contingência definido pelo Governo e até à revisão destas condições.

• Recordamos que "sintomas como febre, tosse ou dificuldade respiratória e se tiver estado em contacto com uma pessoa infetada por COVID-19, ou tiver regressado recentemente de uma área afetada, deve ligar para o SNS24 (808 24 24 24). Após este contacto e validação da história clínica, os profissionais de saúde irão determinar se é necessário ser testado para COVID-19".

A Saúde depende de cada um de nós!
A Comissão Executiva da Fundação do DesportoFundacaoDesportoCovid19

 

 

 

 

O Campeonato Nacional de Canoagem de Mar que se iria realizar no dia 28 de março, foi adiada para data a indicar futuramente.

Lagoa Cidade Ativa, Terra de Campeões!

GCI do Mun Lagoa(Algarve)CanoagemMarAdiado

 

Comitiva italiana obrigada a antecipar regresso ao seu país. A final da 27ª edição da Algarve Cup entre a Alemanha e a Itália, marcada para esta quarta-feira, foi cancelada.

Devido à situação de emergência que se vive em Itália e à consequente supressão de voos com destino ao seu país, entendeu-se que a melhor solução seria o regresso da comitiva italiana o mais rápido possível.

Desta forma, a organização do torneio decidiu cancelar a final que deveria realizar-se hoje, pelas 18h45 no Estádio Municipal da Bela Vista, no Parchal.

GCI do Mun Lagoa(Algarve)AlgarveCupLagoa

 

 

 

O Complexo das Piscinas Municipais de Silves será palco do Campeonato Regional de Inverno de JUV-JUN-SEN nos dias 14 e 15 de março. A prova, que decorrerá das 09h30 às 13h00 e das 15h30 às 19h00, é organizada pela Analgarve e conta com o apoio da Câmara Municipal de Silves (CMS).

Durante estes dois dias, serão cerca de duas centenas os participantes dos clubes de natação algarvios que irão participar neste Campeonato Regional.

O telefone 282440270 e email Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. são os contactos do sector de Desporto da CMS disponíveis para o fornecimento de informações adicionais sobre o evento.

A entrada é livre.

GRP do Mun SilvesCampeonatoRegInverno

Parceiros

Mais Kizomba
UF Faro
Gente Gira Algarve
LOGOTIPO_Small
Faro 1540
Pens USB